sábado, 26 de janeiro de 2013

Guarde isso no coração

Bom dia. Sempre recebo mensagens de um amigo, Paulo Martins, servidor do TJ-MS. Essa emocionou-me. 

É véspera para alguns. Amanhã será um dia de batalha. 

Para outros, a batalha já começou e para muitos ela ainda começará. 

Então...

"Você vai ser aquilo que você quiser, a escolha é sua." 

"Se você não acreditar em você, ninguém mais vai." 

"Nenhuma palavra maldita jogada contra a sua vida vai prosperar. Não importa se as pessoas não acreditam." 

"Ou você deixa o seu passado virar um chapéu sombreiro mexicano sobre a sua cabeça, fazendo sombra e você anda de cabeça baixa para todo o mundo, ou você pega o seu passado e transforma em tapete para você pisar em cima." 

"Pegue isso, guarde no coração e dê um grito de vitória!!!" 

Feliz TRT para você. Sucesso!!! Vitória!!!


[...]

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

CEGM-MPU


[...]

CEGM-MPU




[...]

MPU

Ministério Público da União - MPU 

Por Luan Monteiro - luan.monteiro@folhadirigida.com.br 

O MPU prepara, para 2013, o seu sétimo concurso para servidores, nos cargos de técnico e analista, cujas escolaridades são os níveis médio ou médio/técnico e superior, respectivamente. O número de vagas ainda será definido, mas no orçamento federal, encaminhado para o Congresso Nacional, foram destinadas verbas para a contratação de até 2.200 novos servidores. 

O concurso anterior foi organizado pelo Cespe/UnB e atraiu mais de 700 mil candidatos. De acordo com o MPU, ao todo, houve aproximadamente 3.100 nomeações. 

A remuneração inicial dos técnicos e analistas é de R$4.694,09 e R$7.252,52, respectivamente, incluído o auxílio-alimentação, de R$710. Há outros benefícios. 

[...]

Paz em meio à tempestade

"Paz não é algo que se coloca em uma pessoa; é um fruto do Espírito (Gálatas 5:22). E fruto é o resultado de permanecer na videira (João 15:4). Não há paz sem oposição. A paz verdadeira é aquela que funciona no meio da tempestade e não na ausência dela (João 14:27)." Joyce Meyer. 

Lendo seu livro percebi que ela cita uma ilustração que eu já conhecia e que quero dedicar aos que estão cada vez mais próximos das provas de sua vida.

Pediram a dois artistas que pintassem um quadro sobre a paz da maneira como eles a percebiam. 

Um pintou um lago parado, calmo, bem atrás das montanhas. 

O outro pintou uma cachoeira impetuosa e espumejante sobre a qual inclinava-se uma árvore em cujo galho estava um pássaro repousando em um ninho. 

A segunda imagem é a paz que desejo a você. Já veio até aqui. Passou meses estudando, furtando-se do convívio da família, dos amigos... Esforçou-se o máximo, multiplicou-se em milhões de tarefas. 

Ei, você já é vencedor. Uma multidão desistiu muito antes dessa etapa. Foi ficando para trás. Não acreditou em seus sonhos ou, talvez, descobriu que estava vivendo um pesadelo.

Você não. Tem vencido o sono, o cansaço, a cobrança, as muitas tarefas que exigem sua imediata atenção, as barreiras da matéria etc. 

Uma vez recebi um e-mail de uma aluna. Era o concurso do TJRJ-2012. Esse concurso foi diferente no momento da inscrição. Ao escolher o local da prova, você, automaticamente, escolhia o Núcleo de trabalho. Como muitos estavam acostumados com o método anterior, não prestaram atenção ao detalhe. 

Algo parecido aconteceu com a Caroline Mocarzel. Ela pode confirmar. Desesperada, enviou-me um e-mail. Nele ela dizia ter cometido o maior erro da sua vida. Não conhecia o concurso, leu o edital, mas não interpretara corretamente. Estava arrasada. Havia colocado Niterói, mas estava preparada para a Capital. Não acreditava que havia feito a maior besteira de sua vida! Quase não chamaram aprovados para aquela região no último concurso. Só pensava em chorar. Estava muito triste. Antes, estava confiante, bem preparada e, de repente, uma bomba cai sobre ela. Só lhe restava torcer pelo impossível, ficar entre os dez primeiros ou a anulação do concurso. 

Eu sorri. Ela nem sabe disso. Não por desdenhar de seu desespero, mas por perceber que o que ela pensava ser erro, poderia ser o maior acerto de sua vida. Se estava preparada para a Capital, também estava para Niterói. 

Tive que dar a péssima notícia de que sim, ela concorreria por Niterói. Tentei confortá-la, mas parecia que nada do que eu dizia conseguia deixá-la tranquila. Disse a ela que não tinha motivo para desespero. Precisava estudar para ficar bem colocada e garantir a convocação. Estava sofrendo por antecipação. Como saber se havia errado sem o resultado? Passado algum tempo perguntei-lhe se estava mais calma. Ela respondeu que sim, que tinha de conformar-se com o erro, afinal, guerra é guerra e só termina na última batalha. 

Caroline Mocarzel ficou na décima posição para Técnico e na sétima para Analista. Seu nome estava na primeira convocação.


[...]

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Viva um dia de cada vez

"Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará seus cuidados; basta a cada dia o seu próprio mal." Mateus 6:34. 

Despreocupar-se, jogar fora a ansiedade não significa estar inerte. A Bíblia nos ensina que devemos fazer tudo o que vier em nossas mãos na medida da nossa força. Eclesiastes 9:10. Ei, entendeu? Na medida da nossa força. O que passa disso, ou seja, o que está além de nós, não nos pertence. Há alguém que cuida disso com enorme eficiência. Deus. Logo, o importante é usar todo o nosso melhor para atingir o objetivo. Feito isso, é hora de descansar. 

"Não gaste o dia de hoje preocupando-se com o amanhã. Você tem coisas suficientes acontecendo hoje. Viva um dia de cada vez." Joyce Meyer. 


Para ajudar, uma flor. Bjs
[...]

domingo, 20 de janeiro de 2013

Aos meus queridos concurseiros

Oi, você que está roendo as unhas de tanta ansiedade, que já nem está dormindo direito, que apostou tudo, que precisa desesperadamente ser aprovado e convocado. Eu já passei por isso e sei como é. 

Muitos alunos já conhecem essa história, mas não foi fácil. Por isso creio, de verdade, que além do nosso esforço, nossa hora tem que ser agora. Não era meu primeiro concurso. Tinha sido aprovada em outros, mas não fui convocada. Achei um anúncio minúsculo na Folha Dirigida informando sobre um concurso para o TJRJ. Precisava desesperadamente daquele cargo. Não tinha mais dinheiro, morava com meus pais... Precisava de uma virada radical. Eu morava em Itaguaí e minha prova foi em Angra dos Reis. Lá fui eu. No dia da minha prova, eu achava que tinha esquecido tudo o que havia estudado. Ao terminá-la, minha cabeça parecia pesar uma tonelada. Surpresa!!! Para ser aprovada na primeira fase, eu precisava acertar 50% da prova. rsrs 

Acertei a maioria absoluta: metade + 1. rsrs Logo viria a segunda fase. Datilografia. Pense só!!! Meu irmão arranjou uma máquina emprestada e eu resolvi datilografar toda a Constituição Federal. rsrs Passei um mês nessa tarefa. No dia da prova, meu Deus, o barulho das teclas das outras máquinas era ensurdecedor. Eu me achava uma tartaruga competindo com as lebres. "Tec... Tec... Tec..." O relógio pulou acabando com meu sonho. Saí arrasada. Eu jamais poderia competir com aqueles dedos furiosos. O resultado. Comprei a Folha. Não conseguia abrir. Fui abrindo devagar, devagar... O medo tomando conta. Minhas mãos tremiam... Não!!! Meu nome!!! Meu nome!!! Meu nome estava em vigésimo nono lugar para 25 vagas!!! Nem sei quanto pulei. 

Quando fui entrar em exercício tinha acabado de fazer uma cirurgia, mal podia andar, estava cheia de pontos. Ouvia chamarem meu nome e ia caminhando pelo corredor do auditório lentamente. Erguia minha mão e pedia que esperassem, eu estava chegando. Minha vontade era correr. Não podia!!! Pensava que se não chegasse logo, eles chamariam outro nome e eu perderia a minha vaga. Ouvia meu nome e pedia que esperassem. Eu estava chegando. A minha hora chegava. 

Por isso, entendo você. A música que vou dedicar-lhe é antiga, faz parte da minha adolescência e juventude, mas gostaria que acreditasse que é possível, sim.

[...]

Água Viva

Água Viva
Milad

Cada estrada em que eu andei
Eu pensei: daria certo
Toda a terra em que habitei
Terminou em um deserto 
Quando Deus achou-me em trevas,disse: Haja luz! 
Quando Deus achou-me em guerras,disse: Haja paz! 
Quando Deus achou-me em negras nuvens de tribulação Fez nascer um arco-íris do céu, no meu coração 
Toda vez que eu tive sede Ele, deu-me de beber 
Água viva, deu-me de beber (3x)


[...]

Fazendo Faxina

Salmo 32:3-5: "Enquanto eu calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a Tua mão pesava sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei (...) e Tu perdoaste a iniquidade do meu pecado." 

O Livro de Salmos é um livro de cânticos. Sim, embora não ouçamos as melodias, as letras nos tocam a alma. Talvez, por isso, muitos grupos musicais tirem dele suas canções. Cada vez que leio um salmo e lembro de uma canção, costumo cantá-la. Foi assim, quando li o de número 32. Lembrei do MILAD. 

Muitas vezes guardamos tanto entulho dentro de nós, que nos cega os olhos. Não há espaço para enxergar. É como se colocássemos um pano muito escuro nos vidros e espelhos de um carro. Saímos desgovernados. Às vezes, a teimosia nos impede de jogar fora todo esse monte de coisas que de nada nos aproveitam e vamos envelhecendo, secando mesmo, perdendo a vontade, perdendo o vigor. Nunca é tarde para a faxina, a limpeza. Talvez você precise de ajuda. Não hesite em pedi-la, em aceitar a mão que lhe é estendida. 


[...]

Simples, simples assim...

Salmo 8:6; 10 e 16: "Na angústia invoquei ao SENHOR, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face. E montou num querubim, e voou; sim, voou sobre as asas do vento. (...) Enviou desde o alto, e me tomou; tirou-me das muitas águas."


[...]

Quando o amor fala mais alto

Havia um pai, cujo caráter foi forjado no fogo da rigidez e nas trilhas do sofrimento. Era um homem antigo, de antigos conceitos e severas convicções. 

Esse pai, de muitos filhos, não concordava com todas as suas escolhas, mas acima da dureza das batidas na bigorna que constituíram sua trajetória, ele soube colocar o mais lindo dos sentimentos, o amor. 

Certo dia, o pai soube que uma de suas filhas passava por provações. Não, não era uma criança, era uma filha já de certa idade. Mas isso não importava para o pai. 

Ele, de mãos dadas com um neto que criara como filho, partiu em direção à filha. Chegando ao destino, após longas horas de viagem, foi convidado a entrar. 

O pai tinha uma mania engraçada. Mãos nos bolsos da calça, percorria cômodo por cômodo, observava cada detalhe. Percebeu que a filha não possuía muita coisa. Constrangida, a filha disse que não poderia oferecer-lhe um café, pois não havia fogão. 

O pai, firme como sempre, tomou o neto pela mão e saiu. Voltou com algumas sacolas. Nelas haviam vários tipos de alimentos, suficientes para lancharem sem que uma só chama fosse acesa. Comeram, conversaram sobre várias coisas, riram, brincaram e o dia foi passando. 

Hora do almoço. A filha, novamente sem saber como dizer, não poderia preparar-lhe algo. O pai, percebendo a sua angústia, olhou em seus olhos e disse: "filha, não se preocupe com a comida. Eu vim por outro motivo. Soube que seu aluguel está atrasado e que não tem dinheiro para pagá-lo. Eu vim pagar o seu aluguel." Entregou o dinheiro e pediu que ela o conduzisse ao ponto de ônibus para que retornasse. 

Nos olhos do pai a tristeza de não ter podido fazer mais. No coração da filha, a lição de que nunca mais permitiria que seu pai, já idoso, atravessasse qualquer distância, para gastar seu pouco dinheiro com ela. Saiu a procurar emprego, fez novas escolhas, umas certas outras erradas. O pai apenas observava. Sabia que só o amor e não o ódio era capaz de transformações, que apenas o perdão e não a intransigência era capaz de mudar caminhos. 

Raquel Tinoco


[...]

Administração do Tempo

Mais uma pérola da minha Bíblia da Mulher (SBB - Segunda edição) - Adaptado. Administração do Tempo - usando a dádiva de Deus

A administração do tempo não consiste apenas em manter-se ocupado, mas também em descobrir o seu foco - encontrar uma direção e avançar de modo a alcançar os seus objetivos. 

O gerenciamento do tempo é uma das competências mais difíceis e ao mesmo tempo mais úteis que alguém pode desenvolver. Exige grande esforço e planejamento realista. Em primeiro lugar, você precisa reconhecer que tem tempo - a quantidade necessária ao seu propósito. Você deve determinar como usar esse tempo (Pv 3.5-6). 

É um erro deixar que outros definam suas prioridades e criem sua agenda (Rm 12.2). Lembre-se de que você pode realizar grandes coisas usando períodos curtos de maneira fiel (Ec. 9.10).

O maior desafio não é organizar sua vida ou planejar o próximo ano, mas organizar cada dia, reservando tempo suficiente para descansar, alimentar-se, exercitar-se adequadamente e cuidar de sua vida cotidiana. A fim de concentrar-se naquilo que é, de fato, importante, é preciso separar tempo para os relacionamentos mais íntimos, especialmente com a família.


[...]

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Alvos - Como Traçar um Rumo

Lendo minha Bíblia, como tento fazer todos os dias, deparei-me com um texto que tem muito a ver conosco. Não só com aqueles que estão no preparo árduo para algum concurso, mas com todos nós que vivemos o dia a dia em busca de realizações. 

O texto: Alvos - Como traçar um rumo - Extraído da Bíblia da Mulher - Seg. Edição - SBB. Adaptado. 

Alvos são sonhos com prazos definidos. Ao realizarmos nossas atividades, avançamos ou retrocedemos; não há meio termo! Alguns alvos expressam desejos saudáveis, mas uma vez que não é possível medi-los, nem definir-lhes prazos, tornam-se inviáveis. Uma visão relevante e alvos realistas devem apresentar: 

1. uma explicação do alvo (o que será necessário para alcançá-lo?) e 
2. uma data para sua conclusão (qual é o prazo?) 

A busca intensa e determinada por alcançar um alvo era importante para o apóstolo Paulo. Ele fala de prosseguir "para o alvo, para o prêmio" (Fp. 3:14) e de correr em busca de um prêmio e disciplinar-se para obtê-lo (I Co 9.24-25). Em ambos os casos, porém, Paulo está se referindo a algo imperecível: a coroa que pertence àqueles que atendem ao chamado de Deus para desenvolverem-se em Cristo Jesus. O Senhor não se opõe à nossa realização - Ele apenas nos chama a voltar nossos esforços para aquilo que é correto e eterno! 

A Bíblia apresenta diretrizes para a definição de alvos (I Co 10.31). Todos devem estar de acordo com a Palavra de Deus (1 Tm 3.14-17) e ter o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus (Fp. 2.5). 

A definição de alvos é um exercício apropriado para todas as idades, começando na juventude e estendendo-se por toda a fase adulta (I Tm 4.12-16), abrangendo todos os relacionamentos (...) e todas as áreas da vida. A definição de alvos envolve certos compromissos:

1. as prioridades precisam ser específicas ou mensuráveis (Hb 6.10)
2. os objetivos devem ser realistas (Fp. 3. 13-14)
3. o trabalho necessário deve ser realizado de acordo com um plano previamente estabelecido (I Co 9.24-27)
4. o prazo para a conclusão da tarefa deve ser determinado (At 20.24)
5. e o alvo alcançado deve ser avaliado (2 Tm 4.7). 

Também é importante definir passos que conduzirão aos alvos desejados. Ao fazê-lo, sua primeira tarefa é pedir orientação (...) (Pv 3.5-6). Com isso, você poderá estabelecer os objetivos de execução (Sl 37.23-24) e criar um programa para alcançar seu alvo (Pv 16.9). Não se esqueça de definir um cronograma para realizá-lo (I Cr. 12.32) e fazer um orçamento dos recursos necessários. 

Para nós, cristãos, o maior alvo é sempre agradar a Deus. Então: 

1. Descubra as prioridades de Deus (Mt 22.36-40)
2. Estude Seus princípios (Sl 119.105)
3. Determine seus planos (Sl 16.7-11)
4. Observe como Ele avalia o progresso (Gl 6.3-4)
5. Lembre-se de que Ele prometeu ajudar (Fp 1.6)
6. e sujeite-se ao modo como Ele resolve os problemas (Sl 37.4-9).


Foto: Follow us on: http://www.facebook.com/Birds.Uccelli
[...]

domingo, 13 de janeiro de 2013

Tic Tac...

Bom dia. 

O relógio não cessa de rolar seus ponteiros. O desespero bate. Não haverá tempo. O desgaste... Consumimos toda a nossa energia tentando parar o tic tac. 

Estudamos demais, até a exaustão, mesmo sabendo que já não assimilamos palavra alguma.

Trabalhamos demais, pois esquecemos que a vida nos oferece quase tudo de que precisamos, mas queremos mais, mais... 

Não adianta. Ao assumirmos inúmeras responsabilidades, sem administrar o tempo, com certeza, sacrificaremos algo importante para nós. 

Ah... tic tac... esse tempo que deixamos passar não volta mais. 

Há solução? Sim, há... 

Meu pai sempre foi um homem extremamente trabalhador, mas se pudesse, não perdia o Chaves. De longe podíamos ouvir suas gargalhadas. Não deixava de desfrutar seus momentos na rede, com um gato no colo, conversando conosco e com minha mãe. Não deixava de visitar um filho. Meu pai não possuía muitos bens estimáveis em dinheiro, mas possuía os mais estimáveis. Sabia remir seu tempo. Como? 

Aprendeu em Eclesiastes. 

Eclesiastes 3: 1-11: "TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou; Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar; Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar; Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar; Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora; Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar; Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz. Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha? Tenho visto o trabalho que Deus deu aos filhos dos homens, para com ele os exercitar. Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim." 

Até as águas correm a seu tempo...

Clique na primeira foto e passe. Verá o curso das águas a seu tempo...





[...]

sábado, 12 de janeiro de 2013

Formidável!!!

Salmo 89:7: "Deus é muito formidável (...), deve ser reverenciado por todos os que o cercam."


[...]

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Simples, simples assim...

Há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica. 
Mas toda mágica é ilusão. 
A ilusão não tira ninguém de onde está. 
Ilusão é combustível de perdedores.

Robert Shianshiky
[...]

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

EC 71/12


Acrescenta o art. 216-A à Constituição Federal para instituir o Sistema Nacional de Cultura.

As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do § 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional: 

Art. 1º A Constituição Federal passa a vigorar acrescida do seguinte art. 216-A: 

"Art. 216-A. O Sistema Nacional de Cultura, organizado em regime de colaboração, de forma descentralizada e participativa, institui um processo de gestão e promoção conjunta de políticas públicas de cultura, democráticas e permanentes, pactuadas entre os entes da Federação e a sociedade, tendo por objetivo promover o desenvolvimento humano, social e econômico com pleno exercício dos direitos culturais.

§ 1º O Sistema Nacional de Cultura fundamenta-se na política nacional de cultura e nas suas diretrizes, estabelecidas no Plano Nacional de Cultura, e rege-se pelos seguintes princípios: 

I - diversidade das expressões culturais; 
II - universalização do acesso aos bens e serviços culturais; 
III - fomento à produção, difusão e circulação de conhecimento e bens culturais;
IV - cooperação entre os entes federados, os agentes públicos e privados atuantes na área cultural;
V - integração e interação na execução das políticas, programas, projetos e ações desenvolvidas;
VI - complementaridade nos papéis dos agentes culturais;
VII - transversalidade das políticas culturais;
VIII - autonomia dos entes federados e das instituições da sociedade civil;
IX - transparência e compartilhamento das informações;
X - democratização dos processos decisórios com participação e controle social;
XI - descentralização articulada e pactuada da gestão, dos recursos e das ações;
XII - ampliação progressiva dos recursos contidos nos orçamentos públicos para a cultura. 

§ 2º Constitui a estrutura do Sistema Nacional de Cultura, nas respectivas esferas da Federação:

I - órgãos gestores da cultura;
II - conselhos de política cultural;
III - conferências de cultura;
IV - comissões intergestores;
V - planos de cultura;
VI - sistemas de financiamento à cultura;
VII - sistemas de informações e indicadores culturais;
VIII - programas de formação na área da cultura; e
IX - sistemas setoriais de cultura. 

§ 3º Lei federal disporá sobre a regulamentação do Sistema Nacional de Cultura, bem como de sua articulação com os demais sistemas nacionais ou políticas setoriais de governo.

§ 4º Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios organizarão seus respectivos sistemas de cultura em leis próprias." 

Art. 2º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, em 29 de novembro de 2012.
[...]

EC 70/12


Acrescenta art. 6º-A à Emenda Constitucional nº 41, de 2003, para estabelecer critérios para o cálculo e a correção dos proventos da aposentadoria por invalidez dos servidores públicos que ingressaram no serviço público até a data da publicação daquela Emenda Constitucional. 

As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do § 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional: Art. 1º A Emenda Constitucional nº 41, de 19 de dezembro de 2003, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 6º-A: 

"Art. 6º-A. O servidor da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações, que tenha ingressado no serviço público até a data de publicação desta Emenda Constitucional e que tenha se aposentado ou venha a se aposentar por invalidez permanente, com fundamento no inciso I do § 1º do art. 40 da Constituição Federal, tem direito a proventos de aposentadoria calculados com base na remuneração do cargo efetivo em que se der a aposentadoria, na forma da lei, não sendo aplicáveis as disposições constantes dos §§ 3º, 8º e 17 do art. 40 da Constituição Federal.

Parágrafo único. Aplica-se ao valor dos proventos de aposentadorias concedidas com base no caput o disposto no art. 7º desta Emenda Constitucional, observando-se igual critério de revisão às pensões derivadas dos proventos desses servidores." 

Art. 2º A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, assim como as respectivas autarquias e fundações, procederão, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias da entrada em vigor desta Emenda Constitucional, à revisão das aposentadorias, e das pensões delas decorrentes, concedidas a partir de 1º de janeiro de 2004, com base na redação dada ao § 1º do art. 40 da Constituição Federal pela Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro de 1998, com efeitos financeiros a partir da data de promulgação desta Emenda Constitucional. 

Art. 3º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data de sua publicação. 

Brasília, 29 de março de 2012.
[...]

EC 69/12


Produção de efeito Altera os arts. 21, 22 e 48 da Constituição Federal, para transferir da União para o Distrito Federal as atribuições de organizar e manter a Defensoria Pública do Distrito Federal. 

As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional: Art. 1º Os arts. 21, 22 e 48 da Constituição Federal passam a vigorar com a seguinte redação: 

"Art. 21. ..................................................................................................  

XIII - organizar e manter o Poder Judiciário, o Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios e a Defensoria Pública dos Territórios; 

......................................................................................................" (NR) 

"Art. 22. ..................................................................................................

XVII - organização judiciária, do Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios e da Defensoria Pública dos Territórios, bem como organização administrativa destes;

......................................................................................................" (NR) 

"Art. 48. ................................................................................................ 

IX - organização administrativa, judiciária, do Ministério Público e da Defensoria Pública da União e dos Territórios e organização judiciária e do Ministério Público do Distrito Federal; 

......................................................................................................" (NR) 

Art. 2º Sem prejuízo dos preceitos estabelecidos na Lei Orgânica do Distrito Federal, aplicam-se à Defensoria Pública do Distrito Federal os mesmos princípios e regras que, nos termos da Constituição Federal, regem as Defensorias Públicas dos Estados. 

Art. 3º O Congresso Nacional e a Câmara Legislativa do Distrito Federal, imediatamente após a promulgação desta Emenda Constitucional e de acordo com suas competências, instalarão comissões especiais destinadas a elaborar, em 60 (sessenta) dias, os projetos de lei necessários à adequação da legislação infraconstitucional à matéria nela tratada. 

Art. 4º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos quanto ao disposto no art. 1º após decorridos 120 (cento e vinte) dias de sua publicação oficial. 

Brasília, 29 de março de 2012.
[...]

Pérolas da Neuza

Pérolas da Neuza. 

Diálogo à mesa na hora do almoço. 

Ruth: Eu não conheço muito bem a sua vida Neuza. 

Olhando para mim, continuou. 

Ruth: Eu fui muito errada na minha vida? 

Raquel: Claro que não, mãe. A sra. lutou muito, teve uma vida muito difícil, buscou sempre servir a Deus. A Neuza também teve uma vida muito difícil. 

Neuza: É verdade. Minha vida sempre foi aos "TRONCOS" e barrancos.

Nós a amamos. Sem ela, nossa vida seria muito menos divertida.
[...]

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB