domingo, 28 de fevereiro de 2010

Guapi é assim...



Fotos Raquel Tinoco
Beija-flor Tesoura
[...]

Nossos Heróis no Haiti

Guapimirim, 28 de fevereiro de 2010 - 47 dias após o terremoto.

Sérgio retornou no dia 10, como noticiado no blog e assim que chegou começou a mobilização pelo orfanato. O prédio ficou completamente destruído com o terremoto e as crianças desabrigadas.

Os contatos iniciais foram feitos com amigos e com o Pr. Edson Tinoco.

Antes de retornar ao Rio, Sérgio perguntou ao Pr. Calixte quais as necessidades emergenciais e chegaram à conclusão de que precisavam de roupas, barracas e alimentos.

A primeira remessa de doações seguiu este mês. Foram doadas barracas de camping, roupas e calçados.

Emocionante ver a alegria das crianças dentro daquelas barracas e vestidas com as roupas doadas. Tão pouco para quem nada tem é realmente muito. A motivação continua. A segunda remessa de doações já está pronta. Segue dia 02 de março.

São ao todo 83 crianças entre 01 a 14 anos e 11 adultos.

Os itens que podem ser doados são:

ROUPAS
BRINQUEDOS
CALÇADOS
BARRACAS DE CAMPING
ARROZ
FEIJÃO
MACARRÃO
LEITE EM PÓ
ÓLEO
TEMPERO
EXTRATO DE TOMATE
SARDINHA EM LATA
SABÃO P LAVAR ROUPA E SABONETE

A intenção é estabelecer contato definitivo com os responsáveis pelo orfanato, reconstruí-lo assim que for aconselhável e adotá-lo aqui do Brasil, mantendo-o em funcionamento através de doações.

Você também pode ajudar.

Antes do terremoto:






Após o terremoto:




As doações:






Sérgio retorna ao Haiti no dia 15 de março.
[...]

Simples, simples assim...

A glória é tanto mais tardia quanto mais duradoura há de ser, porque todo fruto delicioso amadurece lentamente.

Schopenhauer
[...]

Fim do cadastro de reserva??? PLS 369/2008

Aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal no dia 24 de fevereiro, o Projeto de Lei 369/08 promete acabar com o temido cadastro de reservas.

Confira o texto inicial e a tramitação.

PROJETO DE LEI DO SENADO - Nº 369/08

Veda a realização de concurso público exclusivo para a formação de cadastro de reserva.
O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Art. 1º O edital de cada concurso público de provas ou de provas e títulos no âmbito da administração direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios não poderá deixar de prever a especificação do número de cargos a serem providos.

Parágrafo único. A formação de cadastro de reserva nos concursos de que trata o caput deste artigo somente será permitida para candidatos aprovados em número excedente ao de cargos a serem providos.

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICAÇÃO

Têm proliferado na Administração Pública os concursos públicos específicos para formação de “cadastros de reserva”. O edital regulador de tais concursos não indica o número de cargos a serem providos. Nessas circunstâncias, é possível a realização de concursos mesmo quando não haja qualquer cargo vago. Pensamos que tais concursos podem constituir, muitas vezes, um verdadeiro atentado aos princípios da moralidade, da impessoalidade e da eficiência, ludibriando os candidatos, ao criar-lhes falsas expectativas de nomeação. Nessas situações, o certame finda por beneficiar apenas a chamada “indústria dos concursos”.

Não faz o menor sentido, a nosso ver, a realização de concursos apenas para a formação de tais cadastros. Ou a Administração carece de novos quadros, e por isso promove o concurso, ou, não estando necessitada de mais servidores, falta-lhe interesse legítimo para deflagrar o processo seletivo.

Recentemente, no julgamento do Recurso Extraordinário (RE) nº 227.480, a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal, evoluindo em relação a entendimento anterior da Corte, concluiu que, se o Estado anuncia em edital de concurso público a existência de vagas, ele se obriga ao provimento dos cargos, se houver candidato aprovado.

A decisão presta homenagem aos princípios da moralidade e da impessoalidade, que devem presidir a conduta dos agentes públicos. Com efeito, se for dado à Administração deixar de nomear os aprovados em concursos dentro do número de vagas estipulado pelo edital, tal faculdade poderá ser utilizada pelo mau administrador, quando alguém de sua predileção não tenha logrado aprovação, ou mesmo para perseguir aprovado que eventualmente seja desafeto seu. Ademais, como ressaltou o Ministro Marco Aurélio, “a Administração Pública não pode brincar com o cidadão, convocando-o para um certame e depois, simplesmente, deixando esgotar o prazo de validade do concurso sem proceder às nomeações” (voto na ADI nº 2.931).

Ora, as mesmas razões que presidiram a decisão da Corte Suprema no RE nº 227.480 são válidas quanto aos concursos para a formação de cadastro de reserva. Podemos até supor que, a partir da recente decisão do STF, aumente o número de concursos com tais características, exatamente para se fugir ao dever de nomear reconhecido pelo Tribunal.

Assim como o Estado não pode brincar com a boa-fé dos candidatos, deixando de nomear os aprovados dentro de número de vagas, também não pode deflagrar concursos nos quais sequer há a estimativa de vagas a serem preenchidas.

Tal conduta não causa prejuízos apenas aos candidatos, mas também ao próprio Poder Público, pois é razoável imaginar que muitas pessoas capazes deixem de prestar concursos com tais características, exatamente por não terem segurança alguma de que, mesmo sendo aprovadas nas primeiras colocações, venham a ser convocadas.

Importa ressaltar que a proposição não trata exclusivamente de disciplinar os concursos públicos no âmbito da União. Trata-se de uma lei nacional em que ela – a União – como personificadora dos interesses nacionais, estabelece regras para todos os entes federados, inclusive a própria União.

PODER LEGISLATIVO - SENADO FEDERAL
Gabinete do Senador EXPEDITO JÚNIOR

A esse respeito, o Senado Federal já firmou entendimento conforme precedente no Parecer nº 1.266/2002, do eminente ex-Senador Bello Parga, aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça, segundo o qual, em seu item 19, decidiu-se que a proposição, tendo caráter de lei nacional (incidência sobre a União, Estados e Municípios), como norma geral que vincula todos os entes federados – inclusive ela própria, a União – não recai sobre ela vício de iniciativa.

Solicitamos, pois, o apoio de nossos pares, para a aprovação do presente Projeto de Lei que, em nosso entendimento, muito contribuirá para a concretização dos elevados princípios regedores da Administração Pública.

Sala das Sessões,
Senador EXPEDITO JÚNIOR

Tramitação
[...]

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Simples, simples assim...

Trate as pessoas como se elas fossem o que poderiam ser e você as ajudará a se tornarem aquilo que elas são capazes de ser.

Goethe
[...]

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Alma de Gato




Alma de Gato - Piaya cayana (Linnaeus, 1766)

Estava à mesa tomando café quando vi uma cauda enorme na goiabeira. Peguei a máquina e corri para a janela. A ave voou e apenas consegui fotografá-la pelas costas, mas fiquei encucada com aquele pássaro enorme. O povo daqui de casa falava que era um anu branco, mas eu refutava. Ora, eu cresci vendo anus brancos pousados nos galhos das árvores de Piranema. Anu branco eu sabia que não era.

Hoje, almoçava com minha família e de repente vi de novo. Conhecia aquela cauda. Estava pousada na aroeira do Guilherme (meu vizinho). Fiquei olhando e com a máquina sai bem devagar para não espantar a ave. Consegui fotografá-la.

Agora todas as teorias. Sérgio (meu irmão), que almoçava conosco afirmava ser uma espécie de sabiá. Só se fosse bem nutrido. rsrs

Minha mãe, que não conseguia identificar a ave, falou que era um gavião. Eu apenas ria.

Fiquei impressionada com o tom de seus olhos, vermelhos, muito vermelhos.

Fui para a net. Há um site com aves do PARNASO. Enfim, descobri seu nome. Até que eu gostei.

"Alma de Gato".

Bem, Guapi é assim...
[...]

Valmir

[...]

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Simples, simples assim...

Mesmo que a rota da minha vida me conduza a uma estrela,

nem por isso fui dispensado de percorrer os caminhos do mundo.

Saramago
[...]

Comunicado

Caros alunos da turma do MPU - manhã - Curso Guerra,

Perdoem-me por hoje. Tentei desmarcar a aula ontem, pois tive problemas com a cuidadora de minha mãe. Entretanto, não houve expediente no Curso nessa quarta-feira. Diante disso, preocupada com vocês, decidi ir assim mesmo.

Saí de casa com minha mãe, bem cedo, por volta da 5:30h. Precisava levá-la a Irajá antes de seguir para o Centro.

Já no pedágio de Piabetá havia um aviso de que um grave acidente ocorrera e a pista sentido Rio estava fechada. Prossegui. Logo à frente havia um enorme congestionamento e nele permaneci por quase duas horas. O acidente envolveu dois caminhões, duas carretas e carros pequenos, segundo informava a Band. A pista foi liberada por volta das 7:50h.

Chovia muito e eu ainda precisava seguir até Irajá. Enfrentei novo congestionamento na saída da Washington Luis para a Avenida Brasil. Temendo não conseguir chegar antes das 10 horas e fazê-los esperar por muito tempo, pedi que a aula fosse cancelada.

Imagino o transtorno e a chateação de terem saído de casa, se deslocado por esse trânsito insuportável e ainda com chuva. Sei bem como é isso e sinto ter sido a causadora do problema, mas não foi voluntário, perdoem-me.
[...]

Andy


Não é lindinha esta andorinha?
[...]

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Guapi é assim...



[...]

O osso


É uma guerra sempre. Tem que ter um osso para cada cão e tomar muito cuidado com o Sr. Jiló, pois além de comer o dele rouba o dos outros.

Para não correr o risco de ver o seu osso roubado, melhor se prevenir. Que tal dormir com ele? kkkkkkkkk
[...]

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Guapi é assim...

[...]

Jiló



Dia desses, Paulo resolveu ensinar algumas lições ao Jiló. Andou prestando atenção naquele programa do Dr. Pet e resolveu utilizar suas técnicas para que o Jiló pare de pular em nós, de correr atrás dos gatos, morder o Léo, coisas do tipo.

Jiló estava usando uma coleira bem fina, só para se acostumar a ter algo no pescoço para depois usarmos a guia.

Bem, a técnica era a seguinte: cada vez que ele tentasse pular na gente ou correr atrás dos gatos ou morder o Léo, o Paulo daria um puxão na guia e ele não conseguiria nos alcançar. Não gostei muito daquilo. Pressenti que ia machucá-lo.

Dito e feito. À noite ele estava lá, reclamando, gemendo, tristão. Tirei a coleira, joguei para o lado e disse a ele: "Jiló, hoje, por causa disso, você pode fazer o que quiser. Pode pular em mim, pode correr atrás de todos os gatos, pode morder o Léo..."

Fui trabalhar.

Quando retornei, ele havia simplesmente obedecido às ordens com louvor. Comeu meu chinelo, comeu uma nota de R$ 5,00, comeu o carregador do celular do Paulo, deu uns quinhentos pulos em mim do portão à porta de casa, mordeu o Léo etc.

"Jiló, permissão revogada!!!"



[...]

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Simples, simples assim...

Existem verdades que a gente só pode dizer depois de ter conquistado o direito de dizê-las.

Jean Cocteau
[...]

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Guapi é assim...




[...]

Concurso: o sonho de estabilidade

Mais de dez milhões de brasileiros se preparam para disputar uma das 80 mil vagas que já foram abertas este ano nos serviços públicos federal, estadual e municipal.

Depois de quase três décadas de sucateamento, baixos salários e contínuo desprestígio, o serviço público brasileiro renasceu. Antes ignorado pela classe média, que via como sinônimo de sucesso uma vida profissional forjada na iniciativa privada, em especial em grandes multinacionais, hoje os empregos estatais transformaram-se em objeto de cobiça dos melhores cérebros do País. A razão para esse crescente interesse em trabalhar para o Estado não encontra mais explicação no velho estereótipo do Barnabé, o funcionário que pouco trabalha, muito toma da nação e por décadas foi a representação do servidor público. O que move milhões de brasileiros é a promessa de polpudos salários, uma valorização cada vez maior da carreira pública e, claro, a certeza de estabilidade e uma aposentadoria difícil de ser equiparada no setor privado.

A estimativa é de que nesse momento dez milhões de brasileiros estejam estudando para prestar algum concurso público nos próximos 12 meses. O levantamento, com base em dados da Pesquisa Nacional de Amostragem de Domicílios, o PNAD, realizada pelo IBGE, leva em conta tanto aqueles que estão matriculados nos incontáveis cursinhos preparatórios espalhados pelo País como também aqueles que se dedicam a estudar em casa. O número absoluto impressiona, mas impressiona ainda mais quando olhado em perspectiva em relação ao número de habitantes do País: na prática, 5% da população brasileira não apenas quer como também se prepara para conquistar uma vaga no serviço público.

E vagas não faltam. Só este ano estão abertas mais de 80 mil delas nos serviços públicos federal, estadual e municipal. Outras 220 mil serão oferecidas para aqueles que quiserem trabalhar por apenas um ano como recenseadores do IBGE, que fará um novo censo. Existem ainda outros 100 mil postos que estão programados para ser abertos apenas no âmbito federal, mas ainda não foram aprovados por conta de restrições orçamentárias. Ao todo, entre abertas, temporárias e programadas, são quase 400 mil vagas de emprego no serviço público, com salários iniciais variando entre o mínimo e os desejados R$ 20,9 mil oferecidos a juízes substitutos dos Tribunais Regionais do Trabalho. “Hoje em dia, em média, um servidor público federal ganha o dobro dos seus congêneres na iniciativa privada”, diz o professor de relações do trabalho da Universidade de São Paulo, José Pastore, deixando claro por que os concursos públicos têm atraído tantos candidatos. “Nos últimos oito anos os salários públicos da União tiveram um aumento real de 75%, enquanto os do setor privado, de apenas 9%.”









É por conta desse processo de revalorização no serviço público dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário que a grande disputa está concentrada nos concursos federais. Nesse momento estão abertas quase 57 mil vagas, que serão disputadas por alguns milhões de brasileiros que estão se preparando com afinco para conseguir passar no grande funil do serviço público federal. É como um vestibular, mas muito mais disputado. Enquanto 11,5 mil pessoas concorreram às 275 vagas oferecidas pela Faculdade de Medicinas da USP este ano, 143 mil candidatos vão se digladiar por um dos 75 postos de técnico administrativo, com salário inicial de R$ 4,8 mil, que o Banco Central oferece em seu concurso no domingo 31 de janeiro.

Para quem consegue ultrapassar essa barreira a recompensa é a certeza de uma carreira estável, com boa remuneração, muitas benesses e a garantia de uma aposentadoria com padrões de rendimento incomparáveis aos da carreira privada. “No setor privado a disputa é muito grande. Já não basta ser bom, é preciso ser muito bom e ainda assim o começo será difícil”, diz Fabio Salomon, headhunter da multinacional Michael Page, uma empresa especialista em contratar executivos de ponta para grandes companhias.

Foi por isso que Igor Gomes, 26 anos, deixou a família a mais de 2,3 mil quilômetros de distância, em Imperatriz, no Estado do Maranhão. Há três anos ele é aluno da Damásio de Jesus, em São Paulo, uma escola preparatória de concursos, para se preparar e tornar-se juiz ou promotor público. Igor passa cerca de 11 horas por dia estudando e, até agora, já fez cinco tentativas, todas sem sucesso. “O processo é longo, composto por muitas fases, mas me sinto cada vez mais próximo de atingir meus objetivos”, diz ele, que preferiu não se tornar médico, como o pai. Os concurseiros, como Igor, estão acostumados a essa rotina. Deslocam-se milhares de quilômetros para ir atrás de uma melhor preparação e cruzam o País em busca de concursos que lhes ofereçam chance de realizar o sonho de ser um servidor.


As principais organizadoras de concursos, por exemplo, movimentaram sozinhas quase R$ 120 milhões em 2007. Organizaram quase 200 concursos, com mais de dois milhões de inscritos. “O setor mais que dobrou em quatro anos”, diz Maria Theresa Sombra, diretora-executiva da Associação Nacional de Apoio e Proteção aos Concursos, a Anpac. “Em 2005 havia 40 empresas. Hoje já são mais de 100.”

Essa explosão de concursos também tem gerado problemas. Só no ano passado pelo menos 20% dos concursos públicos ocorridos no País tiveram algum tipo deles. Um dos casos mais graves ocorreu no concurso da Polícia Rodoviária Federal, que selecionaria 750 novos agentes. Todos os primeiros colocados de diferentes Estados fizeram prova em salas extras, o que era permitido apenas para pessoas em condições especiais, como lactantes. Além disso, em uma das questões da prova de física, todos os primeiros colocados erraram, porque marcaram a alternativa que era dada como certa no gabarito preliminar, antes de a prova ter sido alterada. O concurso foi suspenso pela Justiça e a PRF decidiu rescindir o contrato com a Funrio, que organizou o concurso, alegando que houve descumprimento das condições do contrato.


No prejuízo ficaram os 120 mil candidatos que prestaram a prova em setembro do ano passado. Entre eles está o gestor de segurança Jorge Romano, 28 anos, um dos autores da denúncia. Romano parou de trabalhar há dois anos para se dedicar a concursos. Havia sido aprovado para a PRF em 2007, mas, por morar no Rio de Janeiro, não quis assumir porque a vaga era para o Pará. “Tinha certeza de que ia passar nesse também. Espero que o concurso seja anulado para não beneficiar quem não merece”, diz ele, cujo sonho era ser diplomata, mas não foi aprovado nas duas provas que fez para o Itamaraty. Para ele ainda há esperança de refazer a prova e voltar a ter uma chance.

Mas para Carolina Machay, 30 anos, no entanto, as esperanças já se foram. Classificada em primeiro lugar no concurso para técnica industrial de impressos digitalizados da Casa da Moeda, ela ganhou, mas não levou. “Não esperava passar em primeiro lugar”, lembra Carolina. O concurso foi em 2005 e durante longos quatro anos a web designer, que fez 78 dos 100 pontos possíveis na prova, esperou em vão pelo chamado. O prazo de validade do concurso expirou em 2009 e Carolina nunca foi convocada. O que ela não sabia até entrar em contato com a estatal é que não havia lido com atenção o edital do concurso, que deixava bem claro que o recrutamento era para o cadastro de reserva e que a Casa da Moeda não tinha obrigação de contratar os aprovados. Casos como esse são comuns. Muitas vezes os candidatos estão tão ansiosos que se esquecem de detalhes simples, porém fundamentais.

E isso não acontece apenas com letras miúdas de editais. São mais comuns, na verdade, no processo de preparação para a prova. Muitos candidatos acabam criando um fluxo de estudos que não segue técnica ou uma estrutura lógica. “É fundamental o estudante sistematizar os estudos”, diz Bertrand Oliveira, procurador da Fazenda Nacional e professor de um cursinho em Brasília.

Estudar para um concurso público é uma tarefa árdua, que demanda tempo e paciência. “Na média, um candidato demora de seis meses a 1,5 ano para passar em um concurso de nível médio, com salário inicial de R$ 2,5 mil, e de 1,5 ano a 3 anos para conseguir uma vaga num concurso de nível superior, com ganhos iniciais de mais de R$ 12 mil”, diz José Romero Baubeta, diretor da Central de Concursos, um curso preparatório de São Paulo. “É uma rotina de operário, mas não na quantidade de horas que se estuda, mas sim na forma, que tem que ser focada e disciplinada”, diz Wilson Granjeiro, dono da rede Gran Cursos, de Brasília.


Fonte: Revista ISTOÉ
Reportagem de Wilson Aquino, Adriana Nicacio e Fabiana Guedes
[...]

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Elias

Feliz Aniversário!!!!


[...]

Guapi é assim...


A.C. (antes da chuva)
D.C. (depois da chuva)
[...]

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

EC 64/2010

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 64, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2010


Altera o art. 6º da Constituição Federal, para introduzir a alimentação como direito social.

As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional:

Art. 1º O art. 6º da Constituição Federal passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição." (NR)

Art. 2º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, em 4 de fevereiro de 2010.

Mesa da Câmara dos Deputados Mesa do Senado Federal
Deputado MICHEL TEMER
Presidente
Senador JOSÉ SARNEY
Presidente
Deputado MARCO MAIA
1º Vice-Presidente
Senador MARCONI PERILLO
1º Vice-Presidente
Deputado ANTÔNIO CARLOS MAGALHÃES NETO
2º Vice-Presidente
Senadora SERYS SLHESSARENKO
2ª Vice-Presidente
Deputado RAFAEL GUERRA
1º Secretário
Senador HERÁCLITO FORTES
1º Secretário
Deputado INOCÊNCIO OLIVEIRA
2º Secretário
Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO
2º Secretário
Deputado Odair Cunha
3º Secretário
Senador MÃO SANTA
3º Secretário
Deputado NELSON MARQUEZELLI
4º Secretário
Senadora PATRÍCIA SABOYA
4ª Secretária

Este texto não substitui o publicado no DOU 4.2.2010
[...]

EC 63/2010

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 63, DE 4 DE FEVEREIRO DE 2010


Altera o § 5º do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre piso salarial profissional nacional e diretrizes para os Planos de Carreira de agentes comunitários de saúde e de agentes de combate às endemias.

As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional:

Art. 1º O § 5º do art. 198 da Constituição Federal passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 198. ....................................................................................................

§ 5º Lei federal disporá sobre o regime jurídico, o piso salarial profissional nacional, as diretrizes para os Planos de Carreira e a regulamentação das atividades de agente comunitário de saúde e agente de combate às endemias, competindo à União, nos termos da lei, prestar assistência financeira complementar aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, para o cumprimento do referido piso salarial.

..............................................................................................." (NR)

Art. 2º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, em 4 de fevereiro de 2010.
Mesa da Câmara dos Deputados Mesa do Senado Federal
Deputado MICHEL TEMER
Presidente
Senador JOSÉ SARNEY
Presidente
Deputado MARCO MAIA
1º Vice-Presidente
Senador MARCONI PERILLO
1º Vice-Presidente
Deputado ANTÔNIO CARLOS MAGALHÃES NETO
2º Vice-Presidente
Senadora SERYS SLHESSARENKO
2ª Vice-Presidente
Deputado RAFAEL GUERRA
1º Secretário
Senador HERÁCLITO FORTES
1º Secretário
Deputado INOCÊNCIO OLIVEIRA
2º Secretário
Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO
2º Secretário
Deputado Odair Cunha
3º Secretário
Senador MÃO SANTA
3º Secretário
Deputado NELSON MARQUEZELLI
4º Secretário
Senadora PATRÍCIA SABOYA
4ª Secretária

Este texto não substitui o publicado no DOU 5.2.2010
[...]

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Nossos Heróis no Haiti...

"Porto Príncipe - Haiti - 9 de fevereiro de 2010 14:13:41 - 27 dias após o terremoto

Estou voltando, querida.

Hoje é o último dia desta etapa, mas ainda não é o meu último dia no Haiti e confesso que estou indo com o coração em chamas.

Aqui no hospital trabalham alguns meninos haitianos e um deles, o Williams, despertou a minha atenção, pelo seu jeito triste e introspectivo, não muito diferente dos demais, mas ele tinha algo que me inquietava e me faltava coragem pra querer saber dos seus problemas, mas Deus tem a sua forma de agir e o meu encontro com o williams foi inevitável.

O Williams tem dezoito anos e é o filho mais velho dentre os seis irmãos. Ele perdeu a casa e o pai no terremoto do dia 12 e teve que assumir o sustento da família.

Sua mãe deu as duas filhas mais novas para uma família francesa, pois não tinha como sustentá-las e hoje o resto da família mora na rua e passa fome, nada diferente do drama de milhões de haitianos.

No domingo passado, eu precisei que ele me fizesse um favor e disse que lhe pagaria pelo serviço. Ao final do serviço eu lhe dei oito dólares e percebi que ele ficou desapontado com aquela quantia, então eu o perguntei se era pouco e ele disse que precisava de vinte dólares para comprar uma barraca de campping para mãe e para os irmãos dele.

Raquel, vc não imagina o que eu fiz! Dei os vinte dólares, peguei as barracas que trouxemos e dei pra ele, três iglus. Não satisfeito, mandei trazer a minha barraca de campping e se pudesse, daria o nosso acampamento inteiro. Ele parecia não acreditar e pude ver lágrimas nos olhos do menino, enquanto me agradecia e dizia que a mãe dele estava orando por todos nós.

A partir daí, procurei saber um pouco mais sobre a família dele e descobri que ele tem um tio que é pastor e cuida de um orfanato com cinquenta crianças, que estão na rua e passando fome. Pedi pra ele trazer o tio, pra me certificar de toda a história e hoje pela manhã, eu tive o prazer de conhecê-lo. Pastor Aladin Calixte, está de chapéu em uma das fotos.

Conversamos muito e ele me contou o drama que está vivendo pra manter as crianças, sem um abrigo, comida, água e medicamentos. O atendimento médico e a distribuição de medicamentos será feito aqui no hospital, mas ainda falta muito.

Ele quer construir um abrigo e isso fica em torno de cinco mil dólares, disse-lhe que tentaria levantar essa quantia no Brasil e uma quantia mensal para ajudar na manutenção do orfanato.

É isso, minha irmã, o meu coração está em chamas e sei que o desafio é grande, mas estou tranquilo, porque isso não é obra do acaso, Deus está no controle.

Bjos e até mt breve"

Sérgio e Pr. Calixte (de chapéu)



Sérgio e Williams


Crianças do Orfanato





Guapimirim, 10 de fevereiro de 2010 - 23:00 - Sérgio está em casa.

Seja bem-vindo!!!

Com certeza, nada disso vem do acaso e consguiremos, sim, ajudar as crianças.
[...]

Nossos Heróis no Haiti...

Guapimirim, 08 de fevereiro - sem notícias.

Guapimirim, 09 de fevereiro.

08:43:57 - Ei, Sééééérgiooooooo, cê tá vindoooooooo???

Guapimirim, 09 de fevereiro - 10:09 - uma ligação!!! Ufa, tudo bem.
[...]

Guapi é assim...

[...]

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Guapi é assim...


Alguns minutos atrás, em uma das minhas goiabeiras.

Guapi é assim...
[...]

Exercícios

01. Com relação à classificação das constituições, assinale a opção correta.

A. A constituição que se materializa ao longo do tempo, tal qual a CF de 1988, é classificada como ortodoxa.
B. A CF de 1988 pode ser classificada como prolixa e semirrígida.
C. Toda constituição é necessariamente escrita e solene.
D. A CF de 1988 é exemplo de constituição analítica.
E. Uma constituição é rígida se não admite qualquer tipo de revisão.

02. De acordo com a classificação das constituições, assinale a opção correta.

A. Quanto à sua mutabilidade, a CF de 1988 pode ser classificada como semirrígida, uma vez que não pode ser alterada com a mesma simplicidade com que se modifica uma lei.
B. A CF de 1988 é um exemplo de constituição outorgada, visto que foi elaborada por representantes legítimos do povo.
C. Quanto à dogmática, a CF de 1988 é classificada pela doutrina como eclética.
D. Quanto à ideologia, a CF de 1988 é classificada pela doutrina como ortodoxa.
E. A CF de 1988 foi elaborada sob influxo dos costumes e transformações sociais. Sua confecção é fruto da evolução histórica das tradições do provo brasileiro, sendo, por isso, classificada como uma constituição histórica.

03. A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 (CF) caracteriza-se por ser

A. flexível e escrita.
B. promulgada e semirrígida.
C. rígida e material.
D. formal e outorgada.
E. escrita e rígida.

04. É uma característica do Estado Federal brasileiro a

(A) delegação de competência remanescente à União.
(B) autonomia dos Municípios.
(C) centralização político-administrativa das unidades federadas.
(D) autonomia dos Territórios.
(E) soberania dos Estados-Membros e do Distrito Federal.

05. Marque a opção correta.

a) A República Federativa do Brasil buscará a integração econômica, geográfica, política e educacional dos povos da América Latina.
b) Construir uma sociedade livre, justa e solidária é um dos fundamentos da República Federativa do Brasil.
c) A cooperação entre os povos para o progresso da humanidade constitui objetivo fundamental da República Federativa do Brasil.
d) Promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação é princípio que rege a República Federativa do Brasil nas suas relações internacionais.
e) O repúdio ao terrorismo e ao racismo é princípio que rege a República Federativa do Brasil nas suas relações internacionais.

06. Quanto aos direitos da personalidade, assinale a opção correta.

A. O direito à integridade física é um direito da personalidade absolutamente indisponível, que, por isso, não admite temperamentos.
B. Quando há violação dos direitos da personalidade, deve-se pedir indenização por perdas e danos, não sendo possível propositura de ação que faça cessar a lesão.
C. O ordenamento legal brasileiro não outorga proteção ao pseudônimo.
D. Os direitos da personalidade, via de regra, são intransmissíveis, ou seja, não podem ser transferidos à esfera jurídica de outrem.
E. A disposição gratuita do próprio corpo, no todo ou em parte, para depois da morte, com fins científicos ou altruísticos, é perfeitamente válida e não admite posterior revogação.

07. Com relação às garantias constitucionais, assinale a opção correta

A. O habeas corpus pode ser impetrado tanto contra ato emanado do poder público como contra ato de particular, sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção.
B. O habeas data destina-se a assegurar o conhecimento de informações pessoais constantes de registro de bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público, desde que geridas por servidores do Estado.
C. O mandado de injunção tem como objeto o não cumprimento de dever constitucional de legislar que, de alguma forma, afete direitos constitucionalmente assegurados, sendo pacífico, na jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF), que ele só é cabível se a omissão tiver caráter absoluto ou total, e não parcial.
D. O mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por pessoas jurídicas, públicas ou privadas, como as organizações sindicais e as entidades de classe legalmente constituídas, mas não por partidos políticos.

08. Quanto aos direitos e garantias individuais, assinale a opção correta.

A. O direito à duração razoável do processo, tanto no âmbito judicial quanto no âmbito administrativo, é um direito fundamental previsto expressamente na CF.
B. A CF garante a todos o direito de reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização ou prévio aviso à autoridade competente.
C. Segundo a CF, cabe mandado de injunção para assegurar o conhecimento de informações relativas à pessoa do impetrante, constantes de registros ou bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público.
D. Os direitos e garantias fundamentais estão previstos de forma taxativa na CF.
E. A CF permite que seja constituído tribunal penal especial para o julgamento de crimes hediondos que causem grande repercussão na localidade em que foram cometidos.

09. Marque a opção incorreta.

a) O civilmente identificado pode ser submetido à Identificação criminal, nos termos da lei.
b) Será admitida ação privada nos crimes de ação pública, se esta não for intentada no prazo legal.
c) O Brasil admite a prisão civil por dívida.
d) A lei não poderá restringir a publicidade dos atos processuais.
e) O Brasil admite a pena de morte.

10. Acerca dos direitos e das garantias fundamentais expressos na CF, assinale a opção correta.

A. A lei penal poderá retroagir, salvo para beneficiar o réu.
Nenhum cidadão brasileiro pode ser extraditado.
B. O mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por partido político com representação no Congresso Nacional.
C. A criação das associações e, na forma da lei, a de cooperativas, depende de autorização estatal.
D. A CF garante a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal, mediante o pagamento das respectivas taxas.
E. É exigida autorização do poder público para realização de reuniões em locais abertos ao público, ainda que com finalidade pacífica.

11. João, servidor público federal, obteve, mediante ação judicial transitada em julgado, determinada vantagem pecuniária que, cerca de 15 anos depois, foi incorporada aos proventos da sua aposentadoria. O TCU, ao examinar a concessão da aposentadoria, determinou a suspensão do pagamento da parcela, arguindo estar em conflito com jurisprudência pacífica do STF. Considerando essa situação hipotética, para impedir o ato do TCU, a defesa de João deve arguir o princípio da

A. impessoalidade.
B. segurança jurídica.
C. responsabilidade do Estado por atos administrativos.
D. legalidade.
E. moralidade.

12. De acordo com a Constituição Federal Brasileira, os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional, em

(A) único turno, por dois terços dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às emendas constitucionais.
(B) dois turnos, por dois terços dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às emendas constitucionais.
(C) dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às Leis Complementares.
(D) dois turnos, por dois terços dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às Leis Complementares.
(E) dois turnos, por três quintos dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às emendas constitucionais.

13. Acerca dos direitos e das garantias fundamentais, a CF

A. prevê que a casa é o asilo inviolável do indivíduo, de modo que ninguém pode, em qualquer hipótese, nela penetrar sem o consentimento do morador.
B. estabelece ser inviolável a liberdade de consciência e de crença, razão pela qual é vedado ao Estado garantir, na forma da lei, proteção aos locais de culto e às suas liturgias.
C. estabelece o direito de reunião pacífica, sem armas, em locais abertos ao público, desde que mediante autorização prévia da autoridade competente.
D. prevê a inviolabilidade do sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas em caráter absoluto.
E. reconhece ser livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença.

14. Acerca do direito à igualdade, assinale a opção que configura situação de aplicação adequada do referido princípio.

A. Fixação, por meio de edital de concurso público, de idade máxima de 45 anos como requisito para o ingresso na magistratura.
B. Estabelecimento, como título em concurso público, do exercício de qualquer função pública.
C. Não-aplicação a brasileiro empregado em empresa estrangeira, com sede no Brasil, das vantagens trabalhistas previstas para os demais empregados, ocupantes da mesma função, que sejam nascidos no país de origem da empresa.
D. Determinação de que, durante a propaganda eleitoral gratuita, os partidos políticos insiram legendas e(ou) intérprete de linguagem brasileira de sinais, a fim de proporcionar o entendimento às pessoas com deficiência, em especial surdos-mudos.

15. Não constitui direito social dos trabalhadores urbanos e rurais

A. a assistência gratuita aos filhos e dependentes, desde o nascimento até cinco anos de idade, em creches e pré-escolas.
B. a igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso.
C. a garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável.
D. o seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, excluindo-se a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa.
E. a irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.

16. Em relação ao controle da administração pública, assinale a opção correta, segundo o disposto na CF.

A. O Poder Judiciário exerce o controle externo da administração com auxílio dos tribunais de contas.
B. As entidades da administração indireta não são fiscalizadas pelos tribunais de contas.
C. Compete ao Congresso Nacional julgar anualmente as contas prestadas pelo presidente da República e apreciar os relatórios sobre a execução dos planos de governo.
D. O Congresso Nacional, mediante aprovação da maioria absoluta de seus membros, poderá convocar o presidente da República e seus ministros para prestarem, pessoalmente, informações sobre assunto previamente determinado.

17. Acerca dos preceitos aplicáveis ao servidor público, assinale a opção correta.

A. Na hipótese de invalidação da demissão de servidor estável, por sentença judicial, este deverá ser reintegrado. O eventual ocupante da vaga, se estável, deverá ser reconduzido ao cargo de origem, com direito à respectiva indenização.
B. O servidor público nomeado para cargo em comissão adquire a estabilidade no serviço público após três anos de efetivo exercício nesse cargo.
C. Antes de adquirir a estabilidade, o titular do cargo efetivo somente poderá ser exonerado mediante decisão judicial transitada em julgado.
D. Após três anos contados do início do exercício nas atribuições do cargo, ocorre o encerramento do estágio probatório, ocasião em que o servidor adquire automaticamente a estabilidade.
E. A estabilidade garante ao servidor a manutenção do vínculo com o Estado, mesmo se o cargo de que é titular vier a ser extinto.

18. A concepção de que o funcionário público realiza os atos administrativos em nome da Administração Pública, e, por isso, as realizações advindas dessa atividade são institucionais e não do próprio funcionário, diz respeito ao princípio da

(A) publicidade.
(B) eficiência.
(C) legalidade.
(D) impessoalidade.
(E) moralidade.

19. A garantia da estabilidade, conferida aos servidores públicos após 3 (três) anos de efetivo exercício,

(A) impede a extinção do cargo respectivo, salvo por meio de lei.
(B) é aplicável tanto aos servidores efetivos, quanto aos servidores ocupantes de cargos de provimento em comissão.
(C) é compatível com a demissão por razões disciplinares, mesmo por meio de simples processo administrativo, assegurada a ampla defesa.
(D) impede a redução de vencimentos ou subsídios, ressalvadas as exceções constitucionais.
(E) prescinde de prévia avaliação de desempenho para ser concedida.

20. Acerca das disposições gerais da administração pública e dos servidores públicos, estipulados na CF, assinale a opção correta.

A. No caso de moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, na forma da lei, o servidor público será aposentado por invalidez permanente com proventos proporcionais ao tempo de contribuição.
B. Existe vedação absoluta à percepção de mais de uma aposentadoria à conta do regime de previdência próprio.
C. É vedada a existência de mais de um regime próprio de previdência social para os servidores públicos civis titulares de cargos efetivos.
D. A CF não assegura ao servidor público a contagem do tempo de serviço e de contribuição para sua aposentadoria quando o regime de previdência seja próprio de outro ente federativo distinto daquele para o qual o servidor contribuiu anteriormente.
E. O servidor público será aposentado voluntariamente, desde que cumprido tempo mínimo de quinze anos de efetivo exercício no serviço público e dez anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria, entre outros requisitos específicos.

21. Com base nas disposições contidas na CF relativas à administração pública, assinale a opção correta.

A. A vedação de acumular dois cargos públicos não abrange empregados de empresas públicas, sociedades de economia mista, suas subsidiárias e sociedades controladas, direta ou indiretamente, pelo poder público.
B. Os cargos, os empregos e as funções públicas são acessíveis apenas aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei, não havendo qualquer acessibilidade aos estrangeiros.
C. O prazo de validade de concurso público é de até um ano, prorrogável uma vez, por igual período.
D. Os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário podem ser superiores aos pagos pelo Poder Executivo, em razão da iniciativa privativa de cada poder para dispor a respeito da remuneração de seus servidores.
E. É proibida a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies remuneratórias com vistas à remuneração de pessoal do serviço público.

22. Com relação ao Poder Legislativo e seus agentes políticos, assinale a opção correta de acordo com a CF.

A. O Senado Federal compõe-se de três representantes dos estados e do DF, eleitos segundo o princípio proporcional, com mandato de oito anos, renovado de quatro em quatro anos, alternadamente, por um e dois terços.
B. Cada uma das casas do Congresso Nacional reúne-se em sessões preparatórias, a partir de 1.º de fevereiro, no primeiro ano da legislatura, para a posse de seus membros e eleição das respectivas mesas, para mandato de dois anos, sendo permitida uma única recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente.
C. Na sessão legislativa extraordinária, o Congresso Nacional somente delibera acerca da matéria para a qual foi convocado, e o pagamento de parcela indenizatória não pode ser realizado em valor superior ao do subsídio mensal, em razão da convocação.
D. Cabe privativamente à Câmara dos Deputados autorizar, por votos de dois terços de seus membros, a instauração de processo contra o presidente e o vice-presidente da República e os ministros de Estado.
E. Perde o mandato o deputado ou o senador que sofrer condenação criminal proferida por juiz de primeiro grau.

23. Com respeito ao Poder Executivo, assinale a opção correta com base na CF.

A. Em caso de impedimento do presidente e do vice-presidente da República, ou vacância dos respectivos cargos, são chamados, sucessivamente, ao exercício da presidência o presidente do Senado Federal, o presidente da Câmara dos Deputados e o presidente do STF.
B. Os ministros de Estado são de livre nomeação do presidente da República e escolhidos apenas entre brasileiros maiores de trinta anos e no exercício dos direitos políticos.
C. É da competência privativa do presidente da República dispor, mediante decreto, acerca da organização e do funcionamento da administração federal, quando isso não
implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos.
D. O presidente e o vice-presidente da República podem ausentar-se do país por período de trinta dias sem que percam os seus cargos, independentemente de licença do Congresso Nacional.
E. Será considerado eleito presidente da República, no primeiro turno, o candidato que, registrado por partido político, obtiver a maioria absoluta de votos, incluído o cômputo dos votos em branco e dos nulos.

24. A respeito das normas constitucionais vigentes, marque a resposta correta.

A. Conforme a CF, o cargo em comissão somente poderá ser ocupado por pessoas que já ocupem cargo efetivo no âmbito da administração pública.
B. É da competência exclusiva do Congresso Nacional autorizar, por dois terços de seus membros, a instauração de processo contra o Presidente e o Vice-Presidente da República e os Ministros de Estado.
C. O Conselho Nacional de Justiça é um órgão do Poder Judiciário e tem jurisdição em todo território nacional.
D. Compete ao CNJ o controle da atuação administrativa, financeira e jurisdicional dos atos praticados pelos membros do Poder Judiciário.
E. O procurador-geral da República e o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil oficiarão junto ao CNJ.

25. De acordo com o que dispõe a CF a respeito do Poder Legislativo federal, assinale a opção correta.

A. Embora o Senado e a Câmara dos Deputados tenham os seus respectivos presidentes, em caso de urgência ou interesse público relevante, pode o vice-presidente da República, no exercício da Presidência da República, fazer a convocação do Congresso Nacional para sessão legislativa extraordinária.
B. O sistema legislativo vigente é o unicameral, opção adotada a partir da Constituição Federal de 1934, exatamente porque os projetos de lei, obrigatoriamente, têm de ser aprovados pela Câmara dos Deputados e pelo Senado em sessão conjunta, para que possam ser levados à sanção do presidente da República.
C. O Congresso Nacional é formado pelo Senado e pela Câmara dos Deputados, o que aponta para a opção pelo pluricameralismo feita pela Assembleia Nacional Constituinte. Contudo, a elaboração de determinadas leis é da competência exclusiva de apenas uma das casas, ou seja, elas não necessitam ser referendadas pela outra.
D. O fato de a legislatura ser de quatro anos para a Câmara dos Deputados e de oito anos para o Senado Federal é uma das evidências de que foi adotado no Brasil o sistema bicameral.
E. Por ser o segundo na linha de sucessão do presidente da República, cabe ao presidente da Câmara dos Deputados fazer a convocação de sessão legislativa extraordinária do Congresso Nacional para o compromisso e a posse do presidente e do vice-presidente da República.

26. A CF trata de forma detalhada da sucessão presidencial, nos casos de vacância e impedimento do chefe do Poder Executivo. Acerca desse assunto, assinale a opção correta.

A. Em qualquer hipótese, deve ser convocada nova eleição presidencial, seja pela via direta, seja pela indireta, assumindo o presidente do Senado Federal provisoriamente
a Presidência da República, e, nas ausências deste, a chefia do Poder Executivo deve ser ocupada pelo presidente da Câmara dos Deputados.
B. O vice-presidente é eleito juntamente com o presidente da República, pois os votos por ele recebidos se somam aos recebidos por seu companheiro de chapa, definindo-se assim o resultado da eleição.
C. Se os cargos de presidente e vice-presidente da República vierem a ficar vagos, responde pela presidência da República o presidente do Congresso Nacional, e deve ser feita a eleição de novos presidente e vice-presidente da República para um mandato-tampão.
D. No caso de impedimento concomitante do presidente e do vice-presidente da República, quem ocupará provisoriamente a Presidência da República será o presidente da Câmara dos Deputados, e a eleição dos novos chefes da nação se dará por eleição popular direta, se ambos os cargos tiverem ficado vagos antes de se completarem dois anos de mandato presidencial.
E. Com a vacância concomitante da Presidência e da Vice-Presidência da República, o presidente da Câmara dos Deputados assume a Presidência da República para um mandato-tampão, pois a CF estabelece que a eleição presidencial deve ocorrer conjuntamente com a dos governadores dos estados e dos membros do Poder Legislativo, para que não haja rompimento do pacto federativo.

27. Compete privativamente à Câmara dos Deputados:

(A) autorizar operações externas de natureza financeira, de interesse da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos Territórios e dos Municípios.
(B) processar e julgar o Presidente e o Vice-Presidente da República nos crimes de responsabilidade, bem como os Ministros de Estado e os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, nos crimes da mesma natureza conexos com aqueles.
(C) processar e julgar os Ministros do Supremo Tribunal Federal, os membros do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, o Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral da União nos crimes de responsabilidade.
(D) aprovar previamente, por voto secreto, após argüição em sessão secreta, a escolha dos chefes de missão diplomática de caráter permanente.
(E) autorizar, por dois terços de seus membros, a instauração de processo contra o Presidente e o Vice-Presidente da República e os Ministros de Estado.

28. Com relação ao Poder Executivo, é correto afirmar que

(A) serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência o Presidente do Supremo Tribunal Federal, do Senado Federal e da Câmara dos Deputados, em caso de impedimento do Presidente e do Vice-Presidente, ou vacância dos respectivos cargos.
(B) far-se-á nova eleição em até vinte dias após a proclamação do resultado, se nenhum candidato a Presidente alcançar maioria absoluta na primeira votação, concorrendo os quatro candidatos mais votados e considerando-se eleito aquele que obtiver a maioria dos votos válidos.
(C) o Presidente e o Vice-Presidente da República tomarão posse em sessão do Palácio da Alvorada, prestando o compromisso de manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil.
(D) o Presidente e o Vice-Presidente da República não poderão, sem licença do Supremo Tribunal Federal, ausentar-se do País por período superior a quinze dias, sob pena de perda do cargo.
(E) a eleição do Presidente e do Vice-Presidente da República realizar-se-á, simultaneamente, no primeiro domingo de outubro, em primeiro turno, e no último domingo de outubro, em segundo turno, se houver, do ano anterior ao do término do mandato presidencial vigente.

29. O Presidente da República poderá delegar ao Procurador-Geral da República, que observará os limites traçados na respectiva delegação, a atribuição de

(A) dispor, mediante decreto, sobre extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos.
(B) celebrar tratados, convenções e atos internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional.
(C) enviar ao Congresso Nacional o plano plurianual, o projeto de lei de diretrizes orçamentárias e as propostas de orçamento previstos na Constituição Federal.
(D) prestar, anualmente, ao Congresso Nacional, dentro de sessenta dias após a abertura da sessão legislativa, as contas referentes ao exercício anterior.
(E) remeter mensagem e plano de governo ao Congresso Nacional por ocasião da abertura da sessão legislativa, expondo a situação do País e solicitando as providências que julgar necessárias.

30. A súmula vinculante é vista por seus defensores como indispensável à garantia da segurança jurídica e ao impedimento da multiplicação, vista como desnecessária, de processos nas várias instâncias. Os oponentes, por seu lado, julgam que a adoção da súmula vinculante engessaria o Poder Judiciário e impediria a inovação, transformando os julgamentos de primeiro grau apenas em meras cópias das decisões já tomadas. Apesar dessas divergências, a súmula vinculante foi introduzida na CF, mediante a publicação da Emenda Constitucional n.º 45/2004. A esse respeito, assinale a opção correta.

A. Do ato administrativo ou da decisão judicial que contrariar a súmula vinculante aplicável ou que indevidamente a aplicar, caberá reclamação ao STF.
B. É necessário o quorum de três quintos dos membros do STF para a edição da súmula vinculante.
C. A súmula vinculante tem por objetivo a validade, a interpretação e a eficácia de determinadas normas, cuja controvérsia acarrete grave insegurança jurídica e relevante multiplicação de processos sobre questão idêntica, motivo pelo qual não é possível a sua revisão ou cancelamento, nem mesmo de ofício, pelo STF.
D. O STF pode, somente de ofício, após reiteradas decisões sobre matéria constitucional, aprovar súmula vinculante.
E. A súmula vinculante tem efeito somente em relação aos órgãos do Poder Judiciário.

31. Em relação ao Poder Legislativo, é correto afirmar que

(A) cabe ao Senado Federal autorizar, por dois terços de seus membros, a instauração de processo contra o Presidente da República.
(B) a imunidade material impede que os membros do Congresso Nacional, desde a expedição do diploma, sejam presos em flagrante por crime inafiançável.
(C) o Senado Federal compõe-se de representantes dos Estados e do Distrito Federal, eleitos pelo sistema proporcional, para um mandato de oito anos.
(D) compete privativamente à Câmara dos Deputados suspender a execução, no todo ou em parte, de lei declarada inconstitucional por decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal.
(E) os Deputados e Senadores são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos.

32. Criado pela Emenda Constitucional no 45/2004, é certo que o Conselho Nacional de Justiça

(A) compõe-se de quinze membros, com mandato de dois anos, admitida uma recondução.
(B) compõe-se de quatorze membros nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pela maioria relativa do Senado Federal.
(C) será presidido pelo Ministro do Superior Tribunal de Justiça, para um mandato de dois anos, vedada a recondução.
(D) terá como Ministro-Corregedor, com mandato de um ano, o membro do Supremo Tribunal Federal que o integra.
(E) possui função exclusivamente de controle da atuação jurisdicional do Poder Judiciário, podendo rever, desde que provocado, as decisões dos juízes federais e estaduais.

33. É INCORRETO afirmar que o Presidente da República

(A) ficará suspenso de suas funções, por crime de responsabilidade, após a instauração desse processo pelo Supremo Tribunal Federal.
(B) não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções na vigência de seu mandato.
(C) deverá responder por crime de responsabilidade se praticar ato que atente contra a lei orçamentária.
(D) não estará sujeito à prisão, por infrações comuns, enquanto não sobrevier a sentença condenatória.
(E) será submetido a julgamento perante o Supremo Tribunal Federal, nas infrações comuns, e pelo Senado Federal, nos crimes de responsabilidade.

34. Em relação às emendas constitucionais, é correto afirmar Que

(A) a proposta de emenda constitucional, após ter sido discutida e aprovada no Congresso Nacional, será enviada ao Presidente da República para sanção ou veto.
(B) na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio, a Constituição Federal deverá ser emendada.
(C) a Constituição poderá ser emendada mediante proposta do Supremo Tribunal Federal.
(D) não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir a forma federativa de Estado.
(E) matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada poderá ser objeto de nova proposta, na mesma sessão legislativa, pela solicitação da maioria absoluta da Câmara ou do Senado Federal.

35. Compete privativamente ao Presidente da República

(A) elaborar súmulas vinculantes.
(B) aprovar o estado de defesa e o estado de sítio decretados pelo Congresso Nacional.
(C) conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei.
(D) realizar a arguição pública para a escolha de presidente e diretores do Banco Central.
(E) comandar e presidir o Tribunal de Contas da União.

36. O Supremo Tribunal Federal (STF)

(A) é integrado por Ministros, com mais de trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos de idade e com mais de 20 anos de exercício de atividades jurídicas.
(B) compõe-se de onze Ministros nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Congresso Nacional.
(C) compõe-se de, no mínimo, trinta e três Ministros, nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal.
(D) possui natureza de Tribunal Constitucional, e, por isso, é órgão autônomo que não pertence à estrutura do Poder Judiciário.
(E) compõe-se de onze Ministros, dos quais não se exige que provenham dos quadros do Poder Judiciário.

37. O Poder Legislativo da União

(A) é integrado por Deputados Federais, eleitos pelo sistema majoritário.
(B) desempenha legislaturas com duração de quatro anos, pelo fato de os mandatos dos Deputados Federais e Senadores terem esse período de duração.
(C) recebe a denominação de Assembléia Legislativa e sua estrutura é unicameral.
(D) pode instituir comissões parlamentares de inquérito com poderes de investigação próprios das autoridades judiciais.
(E) representa a vontade do povo por meio do Senado Federal.

38. Quanto ao sistema de governo e ao papel do presidente da República na ordem constitucional brasileira, assinale a opção correta.

A. Embora vigore, no Brasil, o sistema presidencialista de governo, a CF atribui ao Congresso Nacional o poder de sustar os atos normativos e os atos administrativos do chefe do Poder Executivo sempre que os julgar inoportunos e inconvenientes ao interesse público.
B. Tanto as tarefas de chefe de Estado como as de chefe de governo integram o rol de competências privativas do presidente da República.
C. O presidente da República tem competência para iniciar o processo legislativo, na forma e nos casos previstos na CF, bem como para, mediante decreto, dispor sobre a criação e extinção de órgãos públicos.
D. Cabe ao presidente da República, com a prévia anuência do Congresso Nacional, decretar e executar a intervenção federal, nas hipóteses previstas em lei.
E. É da competência privativa do chefe do Poder Executivo promulgar e fazer publicar as emendas constitucionais, que, após terem sido aprovadas, são sancionadas pelas mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

39. Com referência às atribuições e garantias de independência do Poder Legislativo, assinale a opção correta.

A. Os deputados e senadores, desde o momento em que tomarem posse em seus cargos, não poderão ser presos, salvo em flagrante de crime inafiançável.
B. Os membros do Congresso Nacional são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas opiniões, palavras e votos, e suas imunidades só poderão ser suspensas durante o estado de sítio por decisão motivada do executor das medidas, com especificação e justificação das providências adotadas.
C. Compete privativamente à Câmara dos Deputados processar e julgar o presidente e o vice-presidente da República nos crimes de responsabilidade.
D. Cabe ao Congresso Nacional, com a sanção do presidente da República, aprovar a criação e extinção de ministérios e órgãos da administração pública federal, mas a iniciativa das leis, no caso, pertence privativamente ao chefe do Poder Executivo.
E. É da competência da comissão mista permanente de deputados e senadores responsável pelo acompanhamento e fiscalização da lei orçamentária fixar, para cada exercício financeiro, a remuneração do presidente e do vice-presidente da República e dos ministros de Estado.

40. Assinale a opção correta no que se refere aos direitos sociais.

A. Pelo princípio da irredutibilidade salarial, a CF veda a redução de salários, mesmo que por decisão judicial, convenção ou acordo coletivo de trabalho.
B. A licença-paternidade é benefício que até hoje não foi regulamentado pela legislação infraconstitucional, continuando em vigor o mandamento previsto no Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, que fixou o prazo de sete dias corridos para sua concessão.
C. A CF elevou o décimo terceiro salário a nível constitucional, colocando-o na base da remuneração integral, para o trabalhador na ativa, e do valor da aposentadoria, para o aposentado.
D. O salário mínimo pode ser fixado tanto por lei em sentido formal quanto por decreto legislativo, com vigência em todo o território nacional, que consubstancia a participação do Congresso Nacional na definição do montante devido à contraprestação de um serviço.
E. A CF assegura ao trabalhador assistência gratuita aos seus filhos e dependentes desde o nascimento até seis anos de idade em creches e pré-escolas.

41. Assinale a opção correta a respeito dos direitos e deveres individuais e coletivos.

A. Em razão do caráter absoluto do princípio da isonomia, não se admite o estabelecimento de proibições relativas ao acesso em determinadas carreiras por critério de idade.
B. O dano moral, que atinge a esfera íntima da vítima, agredindo seus valores, humilhando e causando dor, não recai sobre pessoa jurídica.
C. A garantia constitucional da inviolabilidade de domicílio abrange qualquer compartimento habitado, mas não os compartimentos onde alguém exerce atividade profissional.
D. A CF assegura a prestação de assistência religiosa tanto às entidades hospitalares privadas quanto às públicas, bem como aos estabelecimentos prisionais civis e militares.
E. O sigilo das comunicações telefônicas é inviolável, podendo ser rompido somente por autorização judicial ou por decisão da autoridade policial responsável pelo inquérito, quando existirem fundados elementos reveladores da prática de crime.

42. A respeito das disposições constantes da CF que tratam do Poder Executivo, assinale a opção correta.

A. O presidente e o vice-presidente da República não poderão, sem licença do Congresso Nacional, ausentar-se do país por período superior a sessenta dias, sob pena de perda do cargo.
B. Em caso de impedimento do presidente e do vice-presidente, ou vacância dos respectivos cargos, serão sucessivamente chamados ao exercício da presidência o presidente do Congresso Nacional, da Câmara dos Deputados e o do STF.
C. De acordo com a CF, o presidente da República poderá delegar a atribuição de conferir condecorações e distinções honoríficas.
D. O cargo de presidente será declarado vago, se, decorridos dez dias da data fixada para a posse, o presidente ou o vice-presidente, salvo por motivo de força maior, não tiver assumido o cargo.
E. Nos crimes de responsabilidade, uma vez admitida a acusação contra o presidente da República por um terço da Câmara dos Deputados, será ele submetido a julgamento perante o STF.

43. Tendo em vista as normas constitucionais que disciplinam o Poder Executivo, assinale a opção correta.

A. O presidente da República e o vice-presidente somente podem ausentar-se do país com licença do Congresso Nacional, sob pena de perda do cargo.
B. As atribuições privativas do presidente da República encontram-se demarcadas no texto constitucional, que não admite serem elas objeto de delegação.
C. Entre os requisitos para alguém candidatar-se ao cargo de presidente ou de vice-presidente da República, estão ser brasileiro nato, possuir filiação partidária há pelo menos dois anos e ter a idade mínima de trinta anos.
D. O substituto e sucessor natural do presidente da República é o vice-presidente, e, na falta desse, serão sucessivamente chamados para ocupar, temporariamente, a Presidência da República, os presidentes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do STF.
E. A eleição do presidente da República ocorre pelo sistema majoritário puro (ou simples), no qual será considerado eleito o candidato que obtiver a maioria absoluta de votos, aí computados os votos em branco e os nulos.

44. Acerca do estabelecido na CF a respeito do Poder Judiciário, assinale a opção correta.

A. Existe vedação absoluta para os juízes exercerem qualquer outro cargo ou função pública.
B. As indicações para o Conselho Nacional de Justiça, se não efetuadas no prazo legal, deverão ser realizadas pelo STF.
C. Compete ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) processar e julgar, originariamente, o litígio entre estado estrangeiro ou organismo internacional e a União, o estado ou o Distrito Federal (DF).
D. O mandato dos juízes dos tribunais eleitorais é de três anos, admitida uma única recondução pelo mesmo período de tempo.

45. No que diz respeito à liberdade de reunião, é certo que

(A) o instrumento jurídico adequado para a tutela da liberdade de reunião, caso ocorra lesão ou ameaça de lesão, ocasionada por ilegalidade ou arbitrariedade, é o habeas corpus.
(B) essa liberdade, desde que atendendo aos requisitos de praxe, não está sujeita a qualquer suspensão por conta de circunstâncias excepcionais como no estado de defesa.
(C) o prévio aviso à autoridade para realizar uma reunião limita-se, tão-somente, a impedir que se frustre outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local.
(D) na hipótese de algum dos manifestantes, isoladamente, estiver portando arma de fogo, o fato não autoriza a dissolução da reunião pelo Poder Público.
(E) a autoridade pública dispõe de competência e discricionariedade para decidir pela conveniência, ou não, da realização da reunião.

GABARITO:
1.D 2. C 3. E 4. B 5. E 6. D 7. A 8. A 9. D 10. B 11. B 12. E 13. E 14. D 15. D 16. C 17. E 18. D 19. C 20. C 21. E 22. D 23. C 24. E 25. A 26. D 27. E 28. E 29. A 30. A 31. E 32. A 33. A 34. D 35. C 36. E 37. D 38. B 39. D 40. C 41. D 42. D 43. D 44. B 45. D

[...]

Tô grandão, né?

[...]

Quase não dá mais para ficar embaixo do rack...

[...]

Simples, simples assim...

O coração nunca envelhece.

Basta um sorriso, um nada, um alvoroço, e tudo nele se ilumina e aquece.

Padre Antônio Feijó
[...]

Gerson, um vencedor!!!

Um e-mail especial:

"Oi, Raquel!!

Hoje irei agradecer e pedir uma opinião. Agradecer pelo fato de vc ter feito parte na minha conquista.

Em 2007 fiz curso contigo, de Legislação do MPE. Eu estava há 3 anos desempregado, depois de ter saído do Banco do Brasil para tentar um negócio que não deu certo.

Já estava impaciente. Até então, vivíamos com o dinheiro que ganháramos da venda de um bom apartamento no Méier. Contudo, o dinheiro foi acabando, e as dificuldades começaram.

Eu consegui me formar em Direito, na Estácio, apesar das dificuldades. No entanto, estar formado não significa estar preparado para um concurso público.

Estudei mais de um ano para o TRE. Fiz os simulados da Academia do Concurso Público e, de 10 simulados, fiquei em primeiro lugar em 4. Nos outros, fiquei entre os 10 primeiros. Achei que estava preparado. Apesar de toda essa preparação, no dia da prova eu estava muito tenso.

Fiz a prova de nível superior, na parte da manhã, e de nível médio, na parte da tarde. Fui mal na parte da manhã e isso me deixou chateado e sem ânimo para fazer a segunda prova. Resultado: não passei em nenhuma delas.

Terminada a prova, refiz a prova de nível médio em casa e acertei mais 14 questões que eu havia errado.

Fiquei umas 2 semanas sem saber o que fazer, completamente chateado com o que havia ocorrido, principalmente porque eu sabia da minha capacidade. Já havia passado em outros concursos difíceis e não conseguia admitir que aquilo tivesse ocorrido.

Aos 17 anos passei para a AFA (Academia da Força Aérea) e para a AMAN, sem fazer cursinho, só estudando em casa. Aos 22, passei no vestibular da UERJ e no mesmo ano, para o Banco do Brasil. Sabia que tinha potencial.

Depois desse balde de água fria, resolvi tentar, sem muito ânimo, o concurso do MPE. Foi aí que vc começou a fazer parte da minha vitória. Eu adorava as suas aulas e sabia que no concurso iria acertar várias questões de legislação. Resultado: errei uma única questão dessa matéria (questão muito difícil).

Passei a ter um grande respeito por você e a te indicar para as pessoas que procuravam uma boa professora de Legislação, Codjej, estatudo, etc. Nunca voltei para te agradecer, apesar de ter pensado nisso durante muito tempo.

Eis a oportunidade: Agradeço por você ter sido uma peça muito importante na minha vitória.

O concurso do MPE foi muito disputado. Na época, mais de 94.000 candidatos se inscreveram para a disputa de 114 vagas de nível médio.

No dia da prova eu estava completamente tranquilo, sem aquela tensão do TRE. Quando comecei a fazê-la, sabia que iria passar. A prova tinha muita doutrina, para um teste de nível médio.

Das 30 questões de Português, acertei 26. Gabaritei Constitucional. Não fui muito bem em estatuto, pois não tive $$ para fazer o curso contigo. Tive que optar: legislação ou estatuto.

Dois meses depois veio a prova do TRF. Fiz analista e técnico. O chato foi que a minha convocação para o MPE caiu exatamente na semana da prova do TRF. Consequência: não pude estudar na semana da prova.

Primeiro gabarito do TRF, sem as anulações: Olhei minha classificação no PCI concursos e vi que, dentro de um universo de 425 concursandos que postaram suas médias, eu era o 5º. Sabia que estava bem colocado no concurso, provavelmente entre os 30 primeiros.

Segundo gabarito: anularam 5 questões: todas eu havia acertado.

Resumindo, minha classificação ficou em 162. Poucas chances de ser chamado.

No TRT, um ano e meio depois, sem estudar, fiquei em 92 para analista administrativo.Agora sou o 69.

Enfim...rsss, esse foi um pequeno resumo da minha trajetória como concurseiro.

Gerson Franco"

Agora, o objetivo do Gerson é o MPU.

[...]

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Nossos Heróis no Haiti

Guapimirim, 02 de fevereiro de 2010 - sem notícias

Guapimirim, 03 de fevereiro de 2010 - sem notícias

Guapimirim, 04 de fevereiro de 2010 - sem notícias

Guapimirim, 05 de fevereiro de 2010 - Dia do retorno. Não retornaram. Ainda não sabemos os motivos.

Guapimirim, 06 de fevereiro de 2010 - sem notícias

Guapimirim, 07 de fevereiro de 2010 - a data de retorno, de 05/02 foi adiada para 09/02 e de 09/02 para, provavelmente, 10/02. Informações da Gê (esposa). Não sabemos as razões do adiamento. Espero que tudo esteja bem, de verdade!!! Ansiosos!!!
[...]

Serra dos Órgãos - Vista Guapi - Faaaala séééééério!!!

[...]

Arpoador - RJ - Fala sério!!!

[...]

Ruth, sempre Ruth

[...]

Nossa primeira primavera


[...]

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB