segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Pet Post

Oi. Kátia, primeiramente, deixe-nos conhecer o Marvin. Envie fotos.

Ensinar um filhote a fazer xixi e cocô no lugar certo não é difícil, mas requer paciência. Portanto precisamos ensiná-lo de forma bastante clara. Como o seu filhote acaba de chegar, a coisa é bem simples.

Os filhotes, principalmente as fêmeas, costumam “anunciar” que vão fazer xixi ou cocô. Elas param de perninha aberta, balançam a "bundinha" e começam a agachar. Nesse momento pegue-o no colo e leve-o ao lugar certo.

Como ele ainda não tem controle, começará a fazer as necessidades assim que você colocá-lo no chão.

Então faça a maior festa para seu filhote! Elogie. Dê um petisco, etc. Faça tudo isso enquanto ele estiver fazendo o xixi. Desta forma, ele irá saber que quando faz o xixi ou o cocô naquele lugar, você fica feliz.

Se ele voltar a fazer xixi no lugar errado, brigue com ele, pegue-o no colo e leve-o de novo ao lugar certo. Volte a elogiá-lo. Assim fica bem claro o CERTO e o ERRADO. Não vai demorar muito e ele irá sozinho ao local certo.

Tome o cuidado de escolher como banheiro dele um local de fácil acesso, que não tenham portas no caminho, etc.

O treinamento vai exigir de você, pelo menos inicialmente, uma vigilância constante. Por esta razão, quando você não puder ficar de olho no seu filhote, deixe-o restrito à área da sua casa ou apartamento que englobe o banheiro dele.

Em apartamentos, o melhor é deixá-lo restrito à área de serviço e, se for preciso, forre toda a área com bastante jornal. Com o tempo, vá colocando jornal numa área cada vez menor.

Outra opção que tem se mostrado muito eficiente é o uso de tapetes higiênicos.

Na medida em que o tempo for passando e seu filhotinho for se tornando um "adolescente", você terá que sair com seu cão na rua várias vezes por dia (no começo), podendo diminuir o número de vezes diárias conforme os dias forem passando. Isso, é lógico, desde que esteja com o calendário de vacinação em dia e seja liberado pelo veterinàrio.

O mais indicado para o começo do treinamento é sair logo que ele acordar, depois das refeições, depois de beber água e antes de dormir.

Tome também o cuidado de não deixar ração à disposição dele o dia inteiro, pois isso pode fazer com que o funcionamento do intestino fique muito desregulado.

Para condicioná-lo, você precisará de alguns biscoitos caninos, um Pipi Dog e um saquinho de supermercado.

Saia com seu cão na rua e espirre um pouco do Pipi Dog num poste ou árvore. Deixe-o cheirar por algum tempo. Ao sentir o cheiro do Pipi Dog, ele provavelmente terá também vontade de fazer xixi.

Mas isto não é imediato, pode levar vários minutos, portanto não tenha pressa. Continue andando com seu filhote até que ele comece a fazer xixi. Então faça festa e dê um biscoito enquanto ele estiver fazendo o xixi.

Isso fará com que ele saiba que fazer xixi na rua é bom e deixa você feliz, ao contrário de quando ele faz no seu tapete ou em locais inadequados.

Se você respeitar os horários para sair com seu cão na rua, é provável que ele faça cocô também.

O procedimento é o mesmo. Elogios, festa e recompensa enquanto ele estiver fazendo cocô.

É importante salientar que seu cão pode levar algum tempo entre a vontade de fazer xixi e a de fazer cocô, portanto não tenha pressa!

Comece o treinamento quando você tiver bastante tempo para dedicar a seu cão.

Conforme os dias forem passando, seu cão já irá associar a saída para a rua ao xixi e ao cocô, e este tempo ficará cada vez menor.

Dicas:

Kátia, como no seu caso, alguns cães de raças menores costumam demorar mais para acertar o lugar certo de fazer xixi ou cocô, pois demoram mais para ter o controle urinário.

Quanto mais cedo você ensinar o local certo ao seu filhote, mais fácil será o aprendizado.

O condicionamento deve ser feito com a maior frequência possível. Fazer uma ou duas vezes e desistir é o mesmo que não fazer nada.

Alguns filhotes fazem xixi quando os donos chegam em casa, por ficarem muito excitados. O melhor nesses casos é ignorar o filhote até que ele se acalme, então dê atenção a ele.

Cães muito submissos fazem xixi ao se sentirem intimidados pelos donos, ou mesmo por estranhos. O melhor nesse caso é tratar do filhote com muita delicadeza, para que ele não se sinta intimidado. Brigar com ele só piora as coisas.

Agora, é só começar. Abraços!

Fonte: http://www.dogtimes.com.br/faq-xixi.htm
Foto: Lucas e seus filhotes de Lhasa, Doc e Violeta
[...]

O banho 2

O sol nem estava tão quente, é verdade, mas eles estavam muito, muito sujinhos. Com aquela chuvarada do fim de outubro...

Não dava mais. Eles precisavam de banho. Léo, Glub e Prince comportaram-se maravilhosamente, como sempre. Jiló... preciso dizer? Foi só ver os outros tomando banho que deu um jeito de se esconder.

Jiló... Jiló... e o Paulo começa a correr atrás dele. rsrsrs

Bem, lógico que vencemos e o cãozinho "meigo" foi para o "sacrifício".

Banho tomado, cachorrinho limpo... silêncio. Será que o Jiló está lá dentro? Assim ele não seca direito. Vai ficar fedidinho.

Jiló... Jiló... Essa não!!! No sofá da Ruth, não!!!


"Tisc, tisc, tisc... Jiló, você já está um rapazinho." Palavras do Léo, o Shi Tzu mais educadinho do mundo.
[...]

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB