terça-feira, 30 de novembro de 2010

A Cruz e a Ponte


Certa vez um homem foi visitado por um certo anjo do Senhor. 


O anjo disse a ele: "eu vim trazer a sua cruz para que você possa carregá-la na sua jornada." 

Ele pegou a cruz e seguiu. Quando já estava bem à frente em sua jornada, encontrou um homem que lhe disse: 


"Como vai, tudo bem? O que você está fazendo com esta cruz aí ? Está maluco ? Ela deve ser muito pesada." 

E o outro respondeu: 


"Não estou maluco não, cada um deve carregar a sua cruz. Mas ela realmente é pesada."

"Então por que você não corta um pedaço do pé da cruz? Vai ficar mais leve."

"Eu não posso fazer isso, é a minha cruz, eu tenho que carregá-la."

"Que besteira, isso é besteira. Corta só um pedacinho, ninguém vai saber. Assim vai ficar mais leve para você carregar." 

E o homem o convenceu de cortar um pedaço.

"Viu, não ficou mais leve?"

"É, você tinha razão, só um pouco não vai fazer mal."  Continuou seguindo sua jornada.


Bem mais à frente de sua longa caminhada eis que ele encontra novamente aquele homem.

"Como vai? Você continua carregando isso aí? Achei que tivesse desistido."

"Sim, eu continuo carregando a minha cruz."

"Mas ela deve estar muito pesada. Por que você não corta mais um pouco? Vai ficar mais leve."

"É, pode ser, não doeu nada da outra vez."

"Vamos cortar. Só que vamos cortar um pouco mais pra ela ficar bem mais leve, né?"

Ele concordou em cortar e depois seguiu sua jornada.

Muito tempo depois ele avista a cidade maravilhosa, cheia de ouro, pedras preciosas, prata. Era a visão mais maravilhosa que ele já teve em toda a sua vida. Era tão iluminada que não precisava do sol. Brilhava tanto..

De repente, sem esperar ele se depara com um abismo e ele não entendeu o objetivo daquele abismo. Tamanho foi seu desespero que ele começa a gritar e gritar e gritar:

"Socorro, me ajudem, quero atravessar, socorro alguém por favor me ajude, quero entrar na cidade!!!"

Cansado de tanto gritar, ele vê do outro lado do abismo o anjo, aquele que lhe entregou a cruz. E o anjo pergunta a ele: 


"O que você está fazendo aí do outro lado? Por que você ainda não atravessou?"

"Como? Não vê o abismo que nos separa?"

"Sim vejo, respondeu o anjo."

"Então, como que eu vou atravessar?"

"Onde está a ponte que eu lhe entreguei?"

"Que ponte? Você me entregou uma cruz e ela está comigo."

E o anjo disse: 


"Então, coloque-a sobre o abismo, porque o tamanho dela é exato para que você possa atravessar."

Fonte: Alfaeomega spaceblog.com.br
[...]

sábado, 20 de novembro de 2010

Vitória!!!!



Você conseguiu!!! Atingiu seu objetivo, chegou ao topo da montanha.

Venceu obstáculos, venceu os outros e venceu-se a si mesmo. Cravou a bandeira no topo.

Felicidades Renata Quaresma, Felipe Lustosa, Leonardo Guimarães de Godoy Garcia Grivot, Hanna Malta de Castro, Alessandra Mello, Daniela Cantuária e tantos outros...

E... você....

Que ainda está com a bandeira nas mãos... Pode ser difícil, parece demorar demais, a hora não chega, mas...

Esqueça-se das coisas que para trás ficam, prossiga para o alvo, pois quem não tem esperança, desiste de tentar.  

Tenha esperança, continue lutando!!!
[...]

domingo, 14 de novembro de 2010

O Impossível faz acontecer...

Quando o difícil torna-se impossível

Deus começa a agir

Ele sempre abre uma porta

Onde não há saída

O impossível faz acontecer.
[...]

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Há um tempo...

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares.

 É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Fernando Pessoa
[...]

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB