domingo, 2 de maio de 2010

Muito além do que se pode ver...

"Na corte de Alexandre, o Grande, havia um filósofo muito famoso, mas bem pobre.

Certa vez, esse homem, um cientista experiente, estava passando por uma grande dificuldade financeira. A quem poderia recorrer, senão ao seu benfeitor, aquele que conquistara o mundo todo?

Assim que apresentou sua petição ao rei, este lhe atendeu. Alexandre lhe deu uma permissão para sacar de seu tesouro a quantia que desejasse.

lmediatamente o filósofo foi ao tesoureiro e pediu, em nome do seu soberano, a quantia de dez mil libras.

O tesoureiro, espantado com o pedido de uma soma tão elevada, recusou-se a entregar-lhe o dinheiro. E foi consultar o rei, apresentando-lhe o problema. Disse que o mero fato de aquele homem pedir dinheiro era um absurdo, e que a quantia era exorbitante.

Alexandre ouviu-o com paciência, mas assim que o outro terminou sua argumentação, ele replicou:

"Pode dar-lhe essa quantia imediatamente. Sinto-me muito feliz com a mentalidade desse filósofo. Ele me fez um elogio. Pedindo uma soma tão elevada, demonstra a idéia que tem da minha riqueza e da minha generosidade."

As possibilidades da oração não se esgotam. Tudo que já pedimos até aqui, tudo que já conseguimos, mal arranha a superfície do que Deus tem para nós, esse Deus que ouve nossas petições.

Qualquer petição que fizermos, por maior que seja, ainda fica aquém do que Deus gostaria que pedíssemos. Não lhe peçamos muletas, mas asas!"

Adaptada de Fontes no Vale
Lettie Cow

Deus tem para nós muito mais do que a nossa visão simplista e incrédula de seu poder pode supor.
[...]

Histórias de Sucesso

Conheci a história do Dr. Ricardo quando foi nomeado pelo Presidente Lula no cargo de Desembargador Regional do TRT da 9ª Região. Ontem fiquei feliz em vê-lo no Portal da Superação. Relembrar sua trajetória foi reviver a esperança de que podemos sim, conquistar nossos sonhos.




Fonte: Portal da Superação - Rede Globo
[...]

Tudo é Possível...

Analfabeto chuta respostas e passa em concurso público

Sem saber ler nem escrever, um candidato a agente patrimonial conseguiu passar em 44º lugar num concurso público para 70 vagas, com exigência de ensino fundamental completo (antigo 1º grau), para a Prefeitura de Ribeirão, em Pernambuco. A seleção tinha 700 candidatos.

O caso foi denunciado ao Ministério Público de Pernambuco, por suspeita de vazamento da prova. Em interrogatório, entretanto, O candidato contou ter marcado as respostas como se estivesse jogando na loteria. Na base do chute, ele acertou 21 das 30 questões de múltipla-escolha, que exigiam conhecimentos de português, matemática e atualidades. O concurso foi realizado em fevereiro. As investigações mostraram que não havia qualquer indício de fraude, mas a Justiça recomendou a exclusão do candidato.

O Ministério Público, porém, ressaltou que o candidato não cometeu qualquer crime, pois ninguém pode ser impedido de participar de um concurso. Apenas não poderá assumir o cargo por não ter os requisitos necessários.

Fonte: Jornal Extra

Ora, os sonhos não discrimam, pertencem a todos. Alguns tem maior chance em realizá-los logo, mas outros terão que trilhar um caminho mais árduo. Obstáculos são comuns àqueles que sonham e buscam a realização de seus sonhos. Só tenho algo a dizer:

"Não desista, jamais. Vença o obstáculo. Se, nesse caso, o obstáculo foi não saber ler e escrever, derrube-o. Pode não ser fácil, mas nenhum obstáculo é intransponível quando o confrontamos com a força de vontade."
[...]

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB