terça-feira, 30 de março de 2010

A ótica de cada um.

Todos os dias quando volto para casa, principalmente em dias ensolarados, tenho a visão da Serra dos Órgãos já a partir da Linha Vermelha.

Quando chego em Santo Aleixo, a imagem que vejo é esta reproduzida na foto. Para mim, está claro que não se trata apenas de uma montanha, um paredão de pedra, uma serra... Existe mais. Tenho essa mania. A mesma das pessoas que ficam vendo desenhos nas nuvens. Procuro imagens do meu dia-a-dia, da vida, algo com que se pareça.

Pergunto sempre a quem está do meu lado: "o que você vê naquela montanha... ali... naquela?" Nunca consegui a resposta que desejo. É a ótica de cada um. Algumas vezes pergunto diretamente... "você consegue ver um... uma?" Aí, sim, logo alguém me diz: "É mesmo!!!"

Então resolvi perguntar a você:

O que vê na parte da serra indicada pela seta?
[...]

DPU - Edital

DEFENSORIA PÚBLICA-GERAL DA UNIÃO
CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE
NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO

EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

1. Banca: Cespe Unb

2. Inscrições:

10 horas do dia 6 de abril de 2010 e 23 horas e 59 minutos do dia 25 de abril de 2010.

2.1. TAXAS:

a) R$ 65,00 para os cargos de nível superior;
b) R$ 50,00 para o cargo de nível médio.

2.2. Será admitida a inscrição somente via Internet: http://www.cespe.unb.br/concursos/dpu_administrativo2010

3. PROVAS:

30 de maio de 2010, no turno da manhã - NÍVEL SUPERIOR.

30 de maio de 2010, no turno da tarde - NÍVEL MÉDIO.

3. DOS CARGOS

3.1 NÍVEL SUPERIOR

REMUNERAÇÃO MENSAL: até R$ 3.532,95

CARGO 1: ANALISTA TÉCNICO ADMINISTRATIVO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 2: ARQUIVISTA - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 3: ASSISTENTE SOCIAL - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 4: BIBLIOTECÁRIO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 5: CONTADOR - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 6: ECONOMISTA - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 7: PSICÓLOGO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 8: SOCIÓLOGO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 9: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 10: TÉCNICO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL – ÁREA 1: JORNALISMO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 11: TÉCNICO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL – ÁREA 2: RELAÇÕES PÚBLICAS - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 12: TÉCNICO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL – ÁREA 3: PUBLICIDADE E PROPAGANDA - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

3.2 NÍVEL MÉDIO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

CARGO 13: AGENTE ADMINISTRATIVO

REMUNERAÇÃO MENSAL: até R$ 2.299,42

4. PROGRAMA - CONHECIMENTOS

4.1. CONHECIMENTOS BÁSICOS PARA TODOS OS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E MÉDIO

LÍNGUA PORTUGUESA: 1 Compreensão e interpretação de textos. 2 Tipologia textual. 3 Ortografia oficial. 4 Acentuação gráfica. 5 Emprego das classes de palavras. 6 Emprego do sinal indicativo de crase. 7 Sintaxe da oração e do período. 8 Pontuação. 9 Concordância nominal e verbal. 10 Regência nominal e verbal. 11 Significação das palavras. 12 Redação de correspondências oficiais.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA: 1 Sistema operacional e ambiente Linux. 2 Edição de textos, planilhas e apresentações em ambiente Linux. 3 Sistema operacional e ambiente Windows. 4 Edição de textos, planilhas e apresentações em ambiente Windows. 5 Conceitos básicos, ferramentas, aplicativos e procedimentos de Internet.

LEGISLAÇÃO RELACIONADA A DEFENSORIA PÚBLICA: Lei Complementar nº 80/1994: Títulos I, II e V com as alterações da Lei Complementar nº 132/2009.

DIREITO CONSTITUCIONAL: 1 Os poderes do Estado e as respectivas funções. 2 Normas Constitucionais. 3 Controle de Constitucionalidade de Atos Normativos. 4 Poder constituinte. 5 Princípios constitucionais. 6 Análise do princípio hierárquico das normas. 7 Princípios fundamentais da CF/88. 8 Direitos e garantias fundamentais. 9 Organização político-administrativa do Estado. 10 Administração Pública na CF/88. 11 Organização dos Poderes. Poder Legislativo; Poder Executivo; Poder Judiciário. As funções essenciais à Justiça: Defensoria Pública.

DIREITO ADMINISTRATIVO. 1 Ato administrativo: conceito, requisitos, atributos, classificação, espécies e invalidação. 1.1 Anulação e revogação. 1.2 Prescrição. 2 Controle da administração pública: controle administrativo, controle legislativo e controle judiciário. 3 Agentes administrativos: investidura e exercício da função pública. 3.1 Direitos e deveres dos funcionários públicos. Regimes jurídicos. 3.2 Processo administrativo: conceito, princípios, fases e modalidades. 4 Poderes da administração: vinculado, discricionário, hierárquico, disciplinar e regulamentar. 5 Princípios básicos da administração. 5.1 Responsabilidade civil da administração: evolução doutrinária e reparação do dano. 5.2 Enriquecimento ilícito e uso e abuso de poder. 5.3 Sanções penais e civis. 5.4 Improbidade administrativa. 6 Serviços públicos: conceito, classificação, regulamentação, formas e competência de prestação. 7 Organização administrativa: noções gerais. 7.1 Administração direta e indireta, centralizada e descentralizada: autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista. 8 Lei nº 8.112/90 e suas alterações.

4.2. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

4.2.1 NÍVEL SUPERIOR

CARGO 1: ANALISTA TÉCNICO ADMINISTRATIVO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 2: ARQUIVISTA - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 3: ASSISTENTE SOCIAL - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 4: BIBLIOTECÁRIO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 5: CONTADOR - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 6: ECONOMISTA - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 7: PSICÓLOGO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 8: SOCIÓLOGO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 9: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 10: TÉCNICO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL: JORNALISMO - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 11: TÉCNICO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL: PUBLICIDADE E PROPAGANDA - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010
CARGO 12: TÉCNICO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL: RELAÇÕES PÚBLICAS - EDITAL Nº 1 – DPU, DE 29 DE MARÇO DE 2010

4.2.2. NÍVEL MÉDIO

CARGO 13: AGENTE ADMINISTRATIVO: 1 Redação oficial. 2 Ética no serviço público: comportamento profissional; atitudes no serviço; organização do trabalho; prioridade em serviço. Código de Ética Profissional do Servidor Público Civil do Poder Executivo Federal: Decreto nº 1.171/1994. 3 Qualidade no atendimento ao público: comunicabilidade; apresentação; atenção; cortesia; interesse; presteza; eficiência; tolerância; discrição; conduta; objetividade. 4 Trabalho em equipe: personalidade e relacionamento; eficácia no comportamento interpessoal; servidor e opinião pública; o órgão e a opinião pública; fatores positivos do relacionamento; comportamento receptivo e defensivo; empatia; compreensão mútua. 5 Técnicas de arquivamento: classificação, organização, arquivos correntes e protocolo.

DIREITO PROCESSUAL PENAL: 1. Ação Penal. 2. Disposições Gerais.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL: 1 Da Jurisdição e da Ação. 2 Das Partes e dos Procuradores. 3 Dos Atos Processuais: 2.1 Dos Prazos.
[...]

quinta-feira, 25 de março de 2010

A caminho de casa...


Afinal, Guapi é assim...
[...]

quarta-feira, 24 de março de 2010

MPU

MPU: preparativos já foram iniciados

Depois dos Procuradores-Gerais dos Ministérios Públicos do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e Militar (MPM), Leonardo Azeredo Bandarra e Cláudia Márcia Ramalho Moreira Luz, respectivamente, terem falado sobre a expectativa na realização de um concurso para o Ministério Público da União (MPU) neste ano, conforme o próprio órgão já informou, o Procurador-Geral do Ministério Público do Trabalho (MPT), Otavio Brito, também comentou sobre a importância da seleção e destacou que tomou conhecimento que os preparativos da seleção foram iniciados.

"Embora tenhamos conhecimento de que já foram inidados os preparativos para um novo concurso para a carreira de servidores (técnicos e analistas) do MPU, a promoção e a realização desse concurso é competência exclusiva do Procurador-Geral da República. Temos a expectativa que o concurso seja realizado o mais breve possível. Ele é inequivocamente necessário. Sempre promovemos encontros para tratarmos de assuntos diversos do MPT, como o grande déficit no nosso quadro de servidores", esclareceu Brito.

Sem poder precisar a quantidade de vagas e as carreiras de técnico e analista que serão abertas no
concurso, o Procurador-Geral do Trabalho garantiu que o ramo do MPU que comanda é o que possui maior defasagem de servidores técnico-administrativos. "O déficit no MPT é realmente grave, especialmente quando se tem em vista que entre os quatro ramos do MPU somos de fato o que continua a ter o menor número de servidores em proporção ao número de membros. A relação atual de funcionários por procurador é de 2,28", assinalou. "De 2004 para cá, nós instalamos 100 procuradorias em diversos municípios, muitas das quais sem um único servidor do MPT, fundonando apenas com cedidos por prefeituras e govemos estaduais, solução a que tivemos que recorrer dada a enorme carência de pessoal que vivenciamos", finalizou o Procurador Otavio Brito.

Enquanto o MPU se prepara para lançar um novo concurso para técnico e analista neste ano (vagas e
carreiras não foram reveladas), tramita na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC), Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei (PL) 5.491 que prevê a criação de 6.804 cargos efetivos na instituição (3.055 de técnico e 3.749 de analista).

O prazo de recebimento de emendas à
proposta deverá ser esgotado na proxima sexta-feira, dia 26, segundo fontes da própria CCJC.

Desse
modo, o deputado paulista José Genoíno (PT), deverá começar a elaborar parecer sobre o texto sobre o texto na semana que vem. Se o projeto for aprovado na comissão sem nenhum recurso, seguirá para o Senado antes da sanção presidencial.

As vagas seriam providas de maneira
escalonada, no limite de 25% dos gastos por ano, a partir de 2011. Enquanto o cargo de técnico (R$4.583,09) requer nível médio ou médio/técnico, analista (R$7.141,52) exige graduação.

Fonte: www.folhadirigida.com.br
[...]

domingo, 21 de março de 2010

Guapi é assim...


Saíra-de-sete-cores
[...]

Uma prece

Perdoa-me, Senhor
Se eu não vivi pra Te servir,
Se em meu agir o Teu amor
Também não refelti.
Perdoa-me, Senhor
Se em Teu caminho não segui,
Se falhas cometi,
Se Tua doce voz não quis ouvir.

Escuta a minha oração, Senhor.
Desejo aqui viver pra Teu louvor.
Ensina-me a Te ouvir
E com amor servir
E os santos passos Teus aqui seguir.

Perdoa-me, Senhor
Se eu de Ti me afastei.
Se em meu caminho escuro
Tua luz não procurei;
Perdoa-me, Senhor
Se na aflição não Te busquei,
Se eu não Te sondei,
Se Teu querer pra mim não procurei.

Escuta a minha oração, Senhor
Desejo aqui viver pra Teu louvor.
Ensina-me a voltar
E junto a Ti estar
E em Tua graça sempre confiar.

Perdoa-me, Senhor
Se frutos eu não produzi,
Se, indiferente a tudo,
A missão eu não cumpri.
Perdoa-me, Senhor
Se os campos brancos eu não vi,
Se só pra mim vivi,
Se meus talentos não desenvolvi.

Escuta a minha oração, Senhor
Desejo aqui viver pra Teu louvor.
Ensina-me a agir
E meu dever cumprir
E frutos dignos dedicar a Ti.

Hiram Rollo Júnior, 1987
[...]

Na direção certa


"Na tempestade", disse um velho marujo, "só há uma coisa que se pode fazer - uma só: pôr o navio em determinada posição e conservá-lo nela."

Às vezes não vemos sol nem estrelas e a tempestade que cai não é pequena. Só há uma coisa a fazer - uma só.

A razão não nos pode ajudar. As experiências passadas não nos trazem luz. Até a oração não parece consolar. Só resta um caminho. Temos que nos pôr em determinada posição e ficar ali.

Venha o que vier, ondas ou vento; trovões ou raios; vagalhões ou rochedos perigosos - não importa. Nosso lugar é no leme, na certeza de que a tormenta passará.

Adaptado de Mananciais no Deserto
Lettie Cowman

Foto: Raquel Tinoco
Pôr-do-sol em Guapimirim-RJ
[...]

Simples, simples assim...

Em vez de tentar escapar de certas lembranças, o melhor é mergulhar nelas e voltar à tona com menos desespero e mais sabedoria. M. Medeiros
[...]

terça-feira, 16 de março de 2010

Guapi é assim...


Isso é que é gostar de caqui.
[...]

sexta-feira, 12 de março de 2010

Guapi é assim...


Pronto, Katia, o primo da Andy. rs
[...]

quinta-feira, 11 de março de 2010

Guapi é assim...


Lavadeira Mascarada
[...]

segunda-feira, 8 de março de 2010

O Mulherão


"O mulherão


Peça para um homem descrever um mulherão. Ele imediatamente vai falar do tamanho dos seios, na medida da cintura, no volume dos lábios, nas pernas, bumbum e cor dos olhos. Ou vai dizer que mulherão tem que ser loira, 1,80m, siliconada, sorriso colgate.

Mulherões, dentro deste conceito, não existem muitas: Vera Fischer, Leticia Spiller, Malu Mader, Adriane Galisteu, Lumas e Brunas. Agora pergunte para uma mulher o que ela considera um mulherão e você vai descobrir que tem uma a cada esquina.

Mulherão é aquela que pega dois ônibus por dia para ir ao trabalho e mais dois para voltar, e quando chega em casa encontra um tanque lotado de roupa e uma família morta de fome.

Mulherão é aquela que vai de madrugada para a fila garantir matricula na escola e aquela aposentada que passa horas em pé na fila do banco para buscar uma pensão de 100 Reais.

Mulherão é a empresária que administra dezenas de funcionários de segunda a sexta, e uma família todos os dias da semana.

Mulherão é quem volta do supermercado segurando várias sacolas depois de ter pesquisado preços e feito malabarismo com o orçamento.

Mulherão é aquela que se depila, que passa cremes, que se maquia, que faz dieta, que malha, que usa salto alto, meia-calça, ajeita o cabelo e se perfuma, mesmo sem nenhum convite para ser capa de revista.

Mulherão é quem leva os filhos na escola, busca os filhos na escola, leva os filhos para a natação, busca os filhos na natação, leva os filhos para a cama, conta histórias, dá um beijo e apaga a luz.

Mulherão é aquela mãe de adolescente que não dorme enquanto ele não chega, e que de manhã bem cedo já está de pé, esquentando o leite.

Mulherão é quem leciona em troca de um salário mínimo, é quem faz serviços voluntários, é quem colhe uva, é quem opera pacientes, é quem lava roupa pra fora, é quem bota a mesa, cozinha o feijão e à tarde trabalha atrás de um balcão.

Mulherão é quem cria filhos sozinha, quem dá expediente de oito horas e enfrenta menopausa, TPM, menstruação.

Mulherão é quem arruma os armários, coloca flores nos vasos, fecha a cortina para o sol não desbotar os móveis, mantém a geladeira cheia e os cinzeiros vazios.

Mulherão é quem sabe onde cada coisa está, o que cada filho sente e qual o melhor remédio pra azia.

... MULHERÃO É QUEM MATA UM LEÃO POR DIA."

Martha Medeiros


Acho que nós somos como aquela primavera da foto acima. Mulherão é florescer na pedra. Feliz Dia Internacional, MULHER!!!
[...]

domingo, 7 de março de 2010

Nossos Heróis no Haiti...

Segunda remessa de doações saindo do Brasil e chegando no Haiti (02-03-2010).












A terceira remessa segue dia 16/03. Deus abençoe a todos.
[...]

Passarinhando...

Tenho um novo hobby. Sair por aí tirando fotos de pássaros. Tudo começou quando eu fotografei um pássaro desconhecido aqui em casa. Você conhece essa história. Está lá nas "minhas histórias".

Para saber de que espécie se tratava, eu e Paulo descobrimos um site com aves do PARNASO. Era uma choca listrada. Foi então que conheci o Wiki Aves. Óbvio que nem chego aos pés do povo que tem por lá. Cada foto!!! Fico boquiaberta.

Há muitos lugares em Guapi desconhecidos para mim, ainda. Hoje desbravei mais um. Culto terminado, almoçamos na igreja e partimos em direção a um lugar chamado Cotia. Olha o que encontrei por lá. Afinal, Guapi é assim...


Ah, esqueci de contar. Jiló é meu fiel companheiro de fotografias. Por enquanto só em casa. Sei lá se ele resolve comer o pássaro!!!

Quando pego a câmera ele é o primeiro a se levantar, passa por mim e fica esperando.

Me segue e fica sentado ao meu lado. Às vezes espanta o pássaro, mas não sai dali.rsrs

Tem horas que me faz tropeçar, outras me empurra quando eu estou focando no bichinho.

Vez ou outra chama o Léo e aí os dois começam aquela brincadeira de morder (argh) bem perto do tripé, lógico, tinha que ser.

[...]

Guapi é assim...

[...]

Para descontrair...

Três senhoras muito velhinhas se reúnem para o chá da tarde.

- Puxa, acho que estou ficando esclerosada. Comenta uma delas. Ontem eu meu peguei com uma vassoura na mão e não me lembrava se já havia ou não varrido a casa.

- Isso não é nada, diz a outra. Outro dia eu me vi de pé, ao lado da cama, de camisola, e não sabia se tinha acabado de acordar ou se estava me preparando para dormir.

- Cruzes!!! Fez a terceira. Deus me livre de ficar assim!!! Isola!!! E deu três batidinhas na mesa: "toc, toc, toc."

Olhou para as outras e emendou:

- Espere um pouco que eu já volto! Tem gente batendo na porta.


Sonelli Fernandes
Seleções Reader's Digest
Mês de Março/2009
[...]

quinta-feira, 4 de março de 2010

Simples, simples assim...

Na minha opinião o que importa mesmo não é homenagear os mortos, levando-lhes regularmente flores às sepulturas, pois isso é formal e fácil.

O que me parece de maior importância é tratá-los bem, com amor possível, enquanto estão vivos. Érico Veríssimo
[...]

quarta-feira, 3 de março de 2010

Nossos Heróis no Haiti



Guapimirim, 03 de março de 2010 - 50 dias após o terremoto.

Ontem a segunda remessa de doações seguiu rumo ao Haiti. Foram arrecadados alimentos, barracas, brinquedos etc.

Sinto orgulho desses militares que convocados para uma missão, foram além.

A próxima remessa segue dia 15 de março. Você também pode ajudar.

Foto extraída do vídeo "We are the World" - Haiti

[...]

segunda-feira, 1 de março de 2010

Em meio à tempestade

Quem já entrou numa mata, num dia de chuva forte e ventos cortantes, sabe que não existe espetáculo mais sombrio nem sons mais lúgubres.

É o vento assobiando por entre os galhos de árvores, quase completamente desfolhados. É o gotejar da chuva, caindo sobre os montes de folhas secas no chão. É o sopro do vento levantando no ar as folhas, que voam para o fundo da mata, como que indo para um túmulo. São as delicadas cores dos troncos e musgos, agora manchadas e desfeitas pela água que escorre.

Como é difícil crer que uma floresta de cenário tão sombrio possa ser a mesma do verão, cheia de tanta beleza!

No entanto nós sabemos que esse mesmo vento que está agitando as árvores e zumbindo de modo tão lúgubre, essa mesma chuva que escorre, essas mesmas folhas que estão apodrecendo, irão ajudar a floresta a se "vestir" de verde.

Eles irão fazer a mata cantar de alegria e pulsar com vida. Esses ventos, esse clima adverso, contribuem para a formação de árvores fortes, de raizes profundas. Até mesmo o furacão que as desfolha e lhes quebra os galhos revitaliza sua capacidade básica, obrigando-as a exercitar mais força.

Se alguém decepar uma árvore ao meio, o tronco se tornará mais firme, mais compacto e exibirá um crescimento mais simétrico. Se ela for arrancada por uma ventania, suas sementes se espalharão e acabarão dando origem a uma nova floresta. Ao serem destruídas, tais árvores voltam para o solo, de onde vão brotar outras árvores.

Assim também nós, hoje, podemos ser mais fortes, mais puros e melhores, por causa das lágrimas, dos gemidos e dos sofrimentos de ontem. Então sabemos, e todo mundo sabe, que nossa vida está mais rica, mais equilibrada e confiável, menos egocêntrica, menos ligada àquilo que nos vem pelos sentidos. Sabemos que toda a atmosfera que nos cerca se acha mais pura e mais cheia de energia.

Aquele que sabe enxergar em meio à tempestade, as bênçãos, agradece. Ela nos sacode, libertando-nos da calmaria que enfraquece.

As tempestades fortalecem as árvores. O sofrimento deixa o homem mais forte.

Adaptado de Fontes no Vale
Lettie Cowman

Foto: Beija-flor preto sob a chuva.
[...]

Aos que sofrem...



Para Kátia, Cris, Valmir, Jorcem, Silene, Pris e tantos outros...

"Vi nascer o problema,
E o vi crescendo...
Vi-o tornar-se grande - imensurável,
E esmagar-nos a um canto - inexorável.
E sem nada entender;
E sem nada poder.

- Ó Senhor, que fazer?

A minha alma clamou,
E sofreu, e chorou,
E angustiou-se.

Mas ali, meu Senhor,
Eu Te vi bem de perto;
Conheci o Teu toque
E provei o Teu bálsamo,
Assistência e amor.

...Entender o problema?
Eu não o entendo.
Mas vi meu Deus tão grande - incomparável!
Vi Seu amor por mim - imensurável.
Seu é todo o poder;
Tudo pode fazer;
Tudo pode entender;
E é meu Pai."

Manaciais no Deserto
Lettie Cowman
[...]

Mestre dos Mestres

Pilatos cedeu diante da possibilidade de comprometer sua carreira política. Cometeu um crime contra a sua própria consciência. Talvez seu sono nunca mais tenha sido o mesmo. Entretanto, para abrandar seu sentimento de culpa, fez um gesto que iria torná-lo famoso na história: lavou as mãos.

Muitos pensam que este ato foi digno de aplausos e não poucos políticos o imitaram ao longo das gerações.

O gesto de Pilatos foi um ato tímido e injusto. Lavou as mãos, mas não podia limpar a sua consciência. A sujeira das mãos é retirada com a água; a da consciência é retirada reconhecendo erros e aprendendo a ser fiel a ela.

Também cometemos erros nessa área, embora com consequências bem menores que as dos homens que julgaram o Mestre Jesus.

Lavamos as nossas mãos nas relações sociais. Quantas vezes nos esquivamos de gastar o último recurso para estender as mãos a alguém que está ao nosso alcance atolado em seus problemas? Usamos o recurso de lavar as mãos como tentativa de nos eximir de nossas responsabilidades, como procedimento para nos proteger contra o sentimento de culpa diante de atitudes delicadas que deveríamos tomar .

Sempre que possível não deveríamos lavar as mãos. Se temos condições de ajudar alguém que não quer ser ajudado, não deveríamos desistir dele. Ninguém consegue abrir as janelas da mente de alguém que se recusa a abri-Ia. Devemos esperar uma nova rtunidade, um novo momento para ajudá-Ia, ainda que ele demore a chegar.

Jesus de Nazaré nunca lavava as suas mãos. Era poderoso, mas não subjugava ninguém com seu poder, nem quando queria e podia. Esgotava todos os recursos para ajudar o necessitados, mas sem constrangê-Ios. Esperava o momento certo para arejar os becos escuros de suas vidas.

Procurava ensiná-los de maneira sábia e agradável, mas dava tanta liberdade para as pessoas errarem quanto incontáveis oportunidades para retornarem. Não as punia, embora não concordasse com os seus erros.

Sua estratégia era fazê-las enxergar os atos errados e corrigi-los voluntariamente. Estar próximo d'Ele era um convite a rever os alicerces da vida.

Adaptado de O Mestre da Vida
Augusto Cury

[...]

Não convide elefantes solteirões para o seu casamento...

[...]

Sergio Pimenta



Sérgio Paulo Muniz Pimenta nasceu em 1954, no Rio de Janeiro.

Filho do Dr. Silas e D. Ilza, inicialmente membros da igreja congregacional e depois presbiterianos, de origem simples, moradores da zona norte do Rio. Ele militar, médico do Exército, perfil meio sisudo e ela mãe do tipo gentil, alegre, sorriso largo. Gente simples está certo, mas não gente comum. A diferença era a Vida, com “V” maiúsculo, em Jesus. Depois a música. E que música!

Pimenta levava uma grande vantagem sobre os outros músicos evangélicos, pois morava no Rio, de longe o grande centro cultural do Brasil. Tinha crescido assistindo os principais artistas ao vivo, chegou a conhecer um ou outro de perto, sua família fazia rodas de samba e de choro entre uma feijoada e um Fla-Flu, e tinha ainda o mar e as calçadas de Copacabana para sobremesa.

As antenas da Embratel estavam recém se tornando populares e tudo apontava para o Rio: a televisão, as novelas, os festivais, o cinema, o Fino da Bossa, a Tropicália, o Fusca, o Canal 100, o gol 1000 do Pelé, os Atos Institucionais do governo, as estatais, a dívida externa etc. e tal. Nós assistíamos tudo aquilo pelo tubo da TV, em preto e branco. O Pimenta estava lá de corpo e alma, em cores.

Além disto, os anos 70 foram de muita contestação política e os estudantes do Rio fizeram constantes passeatas, enfrentando prá valer o regime. Alguns morreram em choques com a polícia, muitos foram presos e outros desaparecidos.

O Sérgio também tinha coração de estudante e sonhava com um outro país. Embora não tivesse atividade política de esquerda, como era a moda, afinal era filho de militar, estudante do Colégio Militar e bom presbiteriano, acabou sendo um revolucionário no contexto evangélico.

Mas de todas as suas influências, tem uma que é de longe a principal para a música: o Sérgio era negro e carregava debaixo da pele todo o swing, a espontaneidade, a risada e o balanço naturais que só a negritude possui. Há! Juntem a esses cromossomos uma intimidade tremenda com Deus, que ele cultivava desde a infância, um coração manso, uma submissão enorme ao Altíssimo, o fascínio por Jesus e pela Palavra, mais o jeitão carioca e terão uma idéia de quem era ele.

Depois que o tempo passa, parece que fica mais fácil olhar para trás e analisar a história. Enquanto as coisas estão acontecendo, acho que ninguém sabe exatamente a dimensão do seu papel. Ótimo, a vida foi construida assim mesmo. Deus não nos conta o que virá pela frente, mas requer passos de fé.

Isso o Pimenta tinha de sobra e acredito que ele foi o que mais avançou dentre todos da sua geração. Passamos umas duas semanas trocando músicas e constituimos uma amizade bonita, daquelas que dão saudade.

Famílias reunidas, esposas radiantes, filhos lindos, músicas novas etc. e tal. Ele se queixava de uma dor nas costas, mas os exames não tinham identificado nada de anormal.

Em abril, tivemos a notícia do câncer. Choque geral. O quê? Não pode ser verdade!! Era e a doença evoluiu rápido, fulminante. De nosso lado, tentamos todos os recursos: oramos fervorosamente, jejuamos, choramos na presença de Deus, vários pastores estiveram acompanhando de perto, a família procurou os melhores especialistas, seu pai que era médico fez o que pôde, mas.

Em agosto de 1987, Sérgio Pimenta faleceu, no Hospital do Câncer em São Paulo. Inacreditável. Todos ficamos esperando um milagre até a última hora, mas ele se foi mesmo.

Fonte: Gospel Músicas Forever

[...]

Para Descontrair...

No consultório de um cirurgião plástico, o médico fala para a paciente:

- Eu não posso mais esticá-la, já fizemos dezessete cirurgias.

E ela responde:

- Não Doutor, agora eu só quero tirar essa covinha do meu queixo.

- Que covinha? Pergunta o médico. Isto aqui é o seu umbigo.

Juarez Antonio Cornely
Seleções Reader's Digest
Mês de Março/2009
[...]

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB