domingo, 27 de julho de 2008

Histórias de Sucesso

HELEN KELLER (1880 - 1968)

Helen Adams Keller nascida em 27 de junho de 1880 em Tuscumbia, Alabama, descendente de tradicional família do Sul dos Estados Unidos, ficou subitamente cega e surda aos dezoito meses de idade, devido a uma doença que foi diagnosticada naquela época como febre cerebral.

Aos sete anos de idade, mais precisamente no dia 03 de março de 1887, por indicação de Alexander Graham Bell, Anne Sullivan, uma professora de vinte e um anos, que havia estudado na Escola Perkins para Cegos (Perkins School for the Blind), foi morar em sua casa para ensiná-la, e desde então tornaram- se inseparáveis, até a morte da professora em 1936.

Anne Sullivan conseguiu ensinar à aluna os alfabetos braille e manual. Sob a orientação de Anne, Helen matriculou-se no Instituto Horace Mann para surdos de Boston e depois na Escola Wright-Humason Oral de Nova Yorque.

Aos dez anos de idade aprendeu a falar para dizer: “Algum dia cursarei uma faculdade” o que de fato aconteceu.

Em 1904 recebeu seu diploma de bacharel em filosofia pela Universidade Radcliffe, onde no qüinquagésimo aniversário de sua graduação, recebeu o “Prêmio Destaque a Aluno”.

Helen dominava os idiomas francês, latim e alemão.

Sua participação ativa na área de trabalho para os cegos, começou em 1915 quando o “Fundo Permanente de Ajuda aos Cegos de Guerra”, posteriormente chamado - Imprensa Braille Americana - foi fundado. Ela foi membro de sua primeira junta de diretores.

Quando a Imprensa Braille Americana transformou-se na “American Foundation for Overseas Blind” (hoje Helen Keller Internacional Incorporated) em 1946, Helen Keller foi eleita conselheira em relações internacionais. Foi então que começou suas viagens pelo mundo, em benefício dos cegos, fato esse que a tornou bem conhecida em seus últimos anos de vida.

Em 1953 a convite oficial do governo brasileiro e da “Fundação para o Livro do Cego no Brasil”, veio ao Brasil onde realizou visitas e palestras no Rio de Janeiro e em São Paulo e seu exemplo estimulou e deu grande impulso à educação e a reabilitação de cegos no Brasil, recebendo da Legião Brasileira de Assistência o título de Membro Honorário.

Por sua influência, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo deu origem à criação, no SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) de um Serviço de Orientação e Colocação Profissional de Cegos, que hoje já colocou nas indústrias de São Paulo grande número de deficientes da visão.

Numa palestra para 550 pessoas no Hospital das Clínicas em São Paulo, alguém lhe perguntou:

— O que você gostaria mais de ver, se Deus lhe desse visão por cinco minutos? Helen Keller respondeu:

—As flores, o pôr-do-sol e o rosto de uma criança.

Hellen fez sua última aparição em público num encontro do Lions Club de Washington. Nesse encontro ela recebeu o “Prêmio Humanitário Lions” por sua vida dedicada a servir a humanidade e por inspirar a adoção de programas de ajuda aos cegos e conservação da visão.

Em 1961, recolheu-se para viver tranqüilamente em “Arcan Ridg”.

Mas apesar de seu afastamento da vida pública, não foi esquecida.

Em 1964 recebeu a “Medalha Presidencial da Liberdade” maior honra de seu país.

Em 1965 foi uma das vinte eleitas para o “Hall da Fama Feminina” na Feira Mundial de Nova Yorque. Hellen Keller e Eleanor Roosevelt receberam a maioria dos votos entre as cem mulheres indicadas. Recebeu diversos títulos e diplomas honorários das Universidades Temple e Harward e das Universidades da Escócia (Glasgow), Alemanha (Berlim), Índia (Nova Delhi) e de Witwasterstrabd (Johannesburg, África do Sul). Entre os inúmeros prêmios de grande distinção, em julho de 1952, foi feita "Cavaleiro da Legião de Honra da França"e as condecorações:

1. No Brasil, "Ordem do Cruzeiro do Sul";

2. No Japão, "do Tesouro Sagrado";

3. Nas Filipinas, “do Coração de Ouro”;

4. No Líbano, “Medalha de Ouro de Mérito”;

5. Recebeu ainda o prêmio “América para a União Inter-americana”;

6. “Medalha de ouro do Instituto Nacional de Ciências Sociais”.

Tornou-se membro honorário de sociedades científicas e organizações filantrópicas dos cinco continentes.

Em 1902 fez sua estréia na literatura escrevendo sua autobiografia “A História de Minha Vida” e em seguida no Jornalismo, com uma série de artigos no “Ladies Home Journal”. A partir daí não parou mais de escrever.

Escreveu inúmeros artigos para revistas e além da “História de Minha Vida”, escreveu vários livros entre os quais:

“Otimismo - um ensaio”;

“A Canção do Muro de Pedra”;

“O Mundo em que vivo”;

“Lutando Contra as Trevas”;

“Minha Vida de Mulher”;

“Paz no Crepúsculo”;

“Dedicação de Uma Vida”;

“A Porta Aberta”.

Seus livros foram transcritos em várias línguas.

Hellen Keller faleceu em 1º de junho de 1968 em “Arcan Ridge” algumas semanas antes de completar 88 anos. Suas cinzas foram depositadas ao lado das de Anne Sullivan Macy e Polly Thomson na Capela de São José na Catedral de Washington. Durante a cerimônia, onde compareceram diversas autoridades do governo, pessoas proeminentes de todos os setores e delegações da maioria das organizações para cegos e surdos, em seu último adeus, o Senador Lister Hill do Alabama disse a respeito de Helen Keller:

“Ela viverá; ela foi um dos poucos nomes imortais, que não nasceu para morrer. Seu espírito perdurará enquanto o homem puder ler e histórias puderem ser contadas sobre a mulher que mostrou ao mundo que não existem limitações para a coragem e a fé.”

E por tudo isso ela foi chamada por seus amigos americanos:

“A primeira mulher de coragem do mundo”.

Fonte: http://http//helenkeller1880.vilabol.uol.com.br
http://http//intervox.nce.ufrj.br/~jrgm/helen.html
Fotos:
1 - Helen e sua professora Anne Sullivan
2 - Helen Keller
[...]

A Cruz Trocada

Há uma poesia chamada "A Cruz Trocada", que fala de um homem que, muito cansado, achou que a sua cruz era mais pesada que a das outras pessoas à sua volta, e desejou trocá-la por outra.

Sonhou que tinha sido levado a um lugar onde havia muitas cruzes, de diversos formatos e tamanhos. Havia uma bem pequena e linda, cravejada de ouro e pedras preciosas. "Ah, essa eu posso carregar facilmente", disse ele. Então tomou-a, mas seu corpo frágil estremeceu sob o peso daquela cruz. As pedras e o ouro era lindos, mas o peso era demais para ele.

Em seguida, viu uma bonita cruz, com flores entrelaçadas ao redor do seu tronco e braços. Esta seria a cruz ideal, pensou. Então, tomou-a; mas sob as flores havia espinhos que lhe feriram os ombros.

Finalmente, mais adiante, viu uma cruz simples, sem jóias, sem entalhes, tendo apenas algumas palavras de amor inscritas nela. Pegou-a e viu que era a melhor de todas, a mais fácil de carregar. E enquanto a contemplava, banhada pela luz que vinha do céu, reconheceu que era a sua própria cruz. Ele a havia encontrado de novo e era a melhor de todas e a que lhe pareceu mais leve.

Se pudéssemos experimentar todas as outras cruzes que julgamos mais leves, descobriríamos, por fim, que nenhuma delas é tão apropriada para nós como a nossa própria cruz.

Há sempre alguém ao seu redor precisando de ajuda, de uma palavra amiga, com uma cruz mais pesada que a sua, com problemas mais sérios que os seus.






Adaptado de Manancias no Deserto

[...]

PGE-RJ

Segundo informações da Procuradoria-Geral, a banca examinadora será informada até o dia 31 de julho, com edital e inscrições em agosto.

O concurso está previsto, inicialmente, para o prenchimento de vagas de nível superior e nível médio.

A Lei 4.720/06, estrutura a carreira do Quadro de Apoio da seguinte forma:

GRUPO

CARGO

ESCOLARIDADE

GRUPO I

NÍVEL SUPERIOR

TÉCNICO SUPERIOR ADMINISTRADOR

TÉCNICO SUPERIOR DE ANÁLISE CONTÁBIL

TÉCNICO SUPERIOR DE ANÁLISE DE SISTEMAS E MÉTODOS

TÉCNICO SUPERIOR BIBLIOTECÁRIO

TÉCNICO SUPERIOR MÉDICO

TÉCNICO SUPERIOR DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

TÉCNICO SUPERIOR DE PROCURADORIA

TÉCNICO SUPERIOR DE PERÍCIAS E AVALIAÇÕES IMOBILIÁRIAS ( Lei 5256/08)

DIPLOMA DE CURSO SUPERIOR DE ACORDO COM A ESPECIALIZAÇÃO

Grupo II
NÍVEL MÉDIO

TÉCNICO ASSISTENTE DE PROCURADORIA

TÉCNICO PROGRAMADOR DE COMPUTAÇÃO

TÉCNICO DE CONTABILIDADE

ENSINO MÉDIO COMPLETO E ESPECIALIZAÇÃO NA ÁREA QUANDO REQUERIDA






[...]

Dicas

Objetivo

Tenho orientado durante todo esse tempo, sobre técnicas e método de estudo. Tática, Informação, Normatização, Otimização e Concentração.

Hoje chegou o momento de finalizar.

Minha última dica é Objetivo. Tudo o que foi postado até agora tem um único alvo, atingir o objetivo. Seja ele a aprovação em um concurso público ou não. São dicas para a vida, para o dia-a-dia.

Sobre objetivo temos muitas frases:

Quando atingimos o objetivo, convencemo-nos de que seguimos o bom caminho. Paul Valéry

O objetivo é sermos felizes. Só lá chegamos lentamente. Isso exige um trabalho quotidiano. Jules Renard

Quem não tem um objetivo quase nunca sente prazer nas suas ações. Giacomo Leopardi

Não é o objetivo que tem interesse, são os meios para o alcançar. Georges Braque

O esforço dirigido a um objetivo tem sempre por prêmio, com a consecução daquilo a que se aspira, a satisfação que o triunfo proporciona. Thomas Wittlam Atkinson

Quanto mais o homem procura apenas que o admirem, mais longe está de conseguir o seu objetivo. Bertrand Russell

A dedicação contínua a um objetivo único consegue freqüentemente superar o engenho. Cícero

O objetivo da guerra é a Paz. Aristóteles

E outras... e outras... e outras...

Atingir o objetivo não tem preço. O objetivo é o combustível da vitória. Ele alimenta a caminhada, ainda que seja árdua.

É transpor o laço, na chegada, braços erguidos, vitoriosos.

Manter nele a visão, é chegar mais cedo ao destino almejado.

Bem, essas são as dicas de meu método de estudo: Tática; Informação; Normatização; Otimização; Concentração e... bingo! Objetivo.

[...]

Legislação Específica - PGE

01. Constitui cargo da carreira da Procuradoria-Geral do Estado do RJ:0

A. Procurador-Geral do Estado;
B. Procurador da República;
C. Procurador do Estado;
D. Procurador de Justiça;
E. Defensor Público.

Gabarito: Questão 1 - letra C - Procuradores do Estado. Procurador-Geral do Estado não é cargo de carreira. O Procurador-Geral é um procurador do Estado da primeira categoria ou da categoria especial, nomeado pelo Governador para a chefiar a PGE. A carreira de procuradores do Estado do Rio de Janeiro, é escalonada em quatro categorias: a terceira, a segunda, a primeira e a especial. A terceira categoria é a inicial e a final é a especial. Arts. 5 e 11 da LC 15/80

A - Chefe da Procuradoria, nomeado pelo Governador
B - Membros do Ministério Público Federal
D - Membros do Ministério Público Estadual
E - Membros da Defensoria Pública

02. São atribuições constitucionais dos Procuradores do Estado:

A. Defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis;
B. Exercer o controle externo do Poder Executivo Estadual;
C. Exercer a representação judicial e a consultoria jurídica do Poder Executivo do Estado respectivo;
D. Exercer a representação da União, judicial e extrajudicialmente;
E. Exercer a orientação jurídica e a defesa, em todos os graus, dos necessitados.

Gabarito: Questão 2 - letra C - Art. 132 da CF

A - os Procuradores do Estado não são membros do Ministério Público, cabendo a atribuição da letra A ao próprio Ministério Público;
B - O controle externo do Poder Executivo Estadual é feito pelo legislativo, com auxílio do respectivo Tribunal de Contas;
D - Advogados da União - art. 131 da CF
E - Defensores Públicos - art. 134 da CF

03. É garantia constitucional do Procurador do Estado:

A. vitaliciedade após 02 anos de efetivo exercício;
B. estabilidade após 03 anos de efetivo exercício;
C. inamovibilidade após 02 anos de efetivo exercício;
D. vitaliciedade após 03 anos de efetivo exercício;
E. estabilidade após 02 anos de efetivo exercício.

Gabarito: Questão 3 - letra B - Os procuradores do Estado são estáveis após três anos de efetivo exercício - art. 132, parágrafo único da CF.

04. A Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro, é órgão diretamente vinculado ao:

A. Poder Judiciário do Estado;
B. Ministério Público do Estado;
C. Ministério Público Federal;
D. Poder Legislativo do Estado;
E. Poder Executivo do Estado.

Gabarito: Questão 4 - letra E - a Procuradoria-Geral do Estado é órgão central do sistema jurídico do Poder Executivo do Estado do Rio de Janeiro.

05. Exerce a chefia da Procuradoria-Geral do Estado:

A. O Procurador-Geral de Justiça;
B. O Procurador-Geral da República;
C. O Defensor Público-Geral do Estado;
D. O Procurador-Geral do Estado;
E. O Procurador da República.

Gabarito: Questão 5 - letra D - Procurador-Geral do Estado

A - Chefe do Ministério Público do Estado
B - Chefe do Ministério Público da União
C - Chefe da Defensoria Pública
E - Membro do Ministério Público Federal
[...]

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Mudanças...


Os defeitos não corrigidos são aqueles não admitidos. A partir do momento em que deles se toma consciência, não resta outra opção a não ser... mudar.

Muitos falam no complexo de Gabriela. Aquela novela da Globo... A música de abertura contava a história de uma mulher, Gabriela, que se orgulhava em afirmar que morreria da mesma forma que nasceu.

Entretanto, deixando de lado o contexto fictício, o mais feliz no ser humano é sua capacidade de mudança, de controle de qualidade. Reconhecer falhas e erros é coragem. Deixar de praticá-los, é dignidade.

Às vezes, perdemos muito de nossas vidas justificando o injustificável. Permanecer onde está, mesmo infeliz, por simples preguiça de tentar mudar, é não provar o sabor do que o novo pode proporcionar.

Obrigar os que nos cercam a uma mesmice sem tamanho, impondo aos mesmos a obrigação de aceitar nossos erros corrigíveis, é egoísmo.

Mudar é ter compromisso... mudar é ter ousadia... mudar é experimentar novos sorrisos, novas carinhas de surpresa daqueles que esperam outra atitude... mudar faz bem.

Melhor mesmo é poder cantar: se
nasci assim, se
cresci assim, se sou mesmo assim, não serei sempre assim... Não serei sempre igual.


[...]

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Simples, simples assim...

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Fernando Pessoa


[...]

domingo, 20 de julho de 2008

A glória de amanhã tem suas raízes no sofrimento de hoje...


Brilhar custa sempre alguma coisa. A luz só brilha às custas daquilo que a produz. Uma vela não produz luz se não for acesa. Ela precisa arder, para brilhar. Não podemos ser de grande utilidade para os outros sem que isso nos custe. Arder sugere sofrimento. E sempre nos retraímos à idéia de sofrer.

Somos inclinados a pensar que estamos fazendo o maior bem ao mundo, quando somos fortes e capazes para o dever ativo e quando temos o coração e as mãos cheios de bons serviços.

Quando somos postos à parte e nos sobrevém o abatimento, o desânimo toma conta da nossa vida, quando atividades que nos dão prazer têm que ser deixadas de lado, quando nos atinge a desilusão, sentimos que não temos utilidade alguma, que nada estamos fazendo.

Mas se formos pacientes e perseverantes, agindo com tenacidade, é quase certo que produziremos mais em nosso tempo de sofrimento e dor, do que nos dias em que pensávamos estar fazendo o máximo do nosso trabalho.

Estamos ardendo, agora, e brilhando, porque estamos ardendo.

Adaptado de Manancias no Deserto

[...]

Histórias de Sucesso

Nas minhas buscas por frases e textos, deparei-me com Fernando Pessoa e por ele me apaixonei. Fernando Antônio Nogueira Pessoa nasceu em 1888, em Lisboa e lá morreu em 1935. Poucas vezes deixou a cidade em adulto, mas passou nove anos da sua infância em Durban, na colônia britânica da África do Sul, onde o seu padrasto era o cônsul Português. Pessoa, que tinha cinco anos quando o seu pai morreu de tuberculose, tornou-se um rapaz tímido e cheio de imaginação, e um estudante brilhante.

Pouco depois de completar 17 anos, voltou para Lisboa para entrar na universidade, que cedo abandonou, preferindo estudar por sua própria conta, na Biblioteca Nacional, onde leu sistematicamente os grandes clássicos da filosofia, da história, da sociologia e da literatura, principalmente a portuguesa. O objetivo era completar e expandir a educação tradicional inglesa que recebera na África do Sul.

Vivendo por vezes com parentes, outras vezes em quartos alugados, Pessoa ganhava a vida fazendo traduções ocasionais e redação de cartas em inglês e francês para firmas portuguesas com negócios no estrangeiro.

Embora solitário por natureza, com uma vida social limitada e quase sem vida amorosa, foi um líder ativo do movimento Modernista em Portugal.

Pessoa manteve-se afastado dos holofotes, exercendo a sua influência, todavia, através da escrita e das tertúlias com algumas das mais notáveis figuras literárias portuguesas.

Respeitado em Lisboa como intelectual e como poeta, publicou regularmente o seu trabalho em revistas, boa parte das quais ajudou a fundar e a dirigir, mas o seu gênio literário só foi plenamente reconhecido após a sua morte.

No entanto, Pessoa estava convicto do próprio gênio, e vivia em função da sua escrita. Embora não tivesse pressa em publicar, tinha planos grandiosos para edições da sua obra completa em Português e Inglês e, ao que parece, guardou a quase totalidade daquilo que escreveu.

Em 1920, a mãe de Pessoa, após a morte do segundo marido, deixou a África do Sul de regresso a Lisboa. Pessoa alugou um andar para a família reunida - ele, a mãe, a meia irmã e os dois meios irmãos - na Rua Coelho da Rocha, nº 16, naquela que é hoje a Casa Fernando Pessoa. Foi aí que Pessoa passou os últimos 15 anos da sua vida - na companhia da mãe até à morte desta, em 1925, e depois com a meia irmã, o cunhado e os dois filhos do casal.

Familiares de Pessoa descreveram-no como afetuoso e bem humorado, mas firmemente reservado. Ninguém fazia ideia de quão imenso e variado era o universo literário acumulado no grande baú onde ele ia guardando os seus escritos ao longo dos anos.

O conteúdo desse baú - que hoje constitui o Espólio de Pessoa na Biblioteca Nacional de Lisboa - compreende os originais de mais de 25 mil folhas com poesia, prosa, peças de teatro, filosofia, crítica, traduções, teoria linguística, textos políticos, horóscopos e outros textos sortidos, tanto datilografados como escritos ou rabiscados ilegivelmente à mão, em Português, Inglês e Francês.

Pessoa escrevia em cadernos de notas, em folhas soltas, no verso de cartas, em anúncios e panfletos, no papel timbrado das firmas para as quais trabalhava e dos cafés que frequentava, em sobrescritos, em sobras de papel e nas margens dos seus textos antigos.

Para aumentar a confusão, escreveu sob dezenas de nomes, uma prática - ou compulsão - que começou na infância. Chamou heterônimos aos mais importantes destes "outros", dotando-os de biografias, características físicas, personalidades, visões políticas, atitudes religiosas e atividades literárias próprias.

Algumas das mais memoráveis obras de Pessoa escritas em Português foram por ele atribuídas aos três principais heterônimos poéticos - Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos - e ao "semi-heterônimo" Bernardo Soares, enquanto que a sua vasta produção de poesia e prosa em Inglês foi, em grande parte, creditada aos heterônimos Alexander Search e Charles Robert Anon, e os seus textos em francês ao solitário Jean Seul.

Os seus muitos outros alter-egos incluem tradutores, escritores de contos, um crítico literário inglês, um astrólogo, um filósofo e um nobre infeliz que se suicidou. Havia até um seu "outro eu" feminino: a corcunda e perdidamente enamorada Maria José.

No virar do século, sessenta e cinco anos depois da morte de Pessoa, o seu vasto mundo literário ainda não está completamente inventariado pelos estudiosos, e uma importante parte da sua obra continua à espera de ser publicada.

Fonte: Casa Fernando Pessoa

[...]

Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,

mas não esqueço que a minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e tornar-se autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Fernando Pessoa

[...]

PGE - Avaliação Especial de Desempenho

A Lei 4.720/06, que cria os cargos da carreira do Quadro de Apoio da Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro, estabelece a avaliação especial de desempenho para os servidores aprovados no concurso de provas ou provas e títulos.

Além das previsões do Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado do Rio de Janeiro (Decreto-Lei 220/75 e Decreto 2479/79), tais como estágio experimental de 06 a 12 meses, o servidor da Procuradoria será submetido à avaliação anual, segundo critérios a serem definidos e aprovados por Resolução do PGE.

A avaliação tem por objetivo a confirmação no cargo e aquisição da estabilidade, sendo realizada durante o estágio probatório.

Trata-se de previsão única, uma vez que o Estatuto não menciona o estágio probatório.

Os candidatos devem se preender às normas estatutárias, sem deixar de lado as normas específicas.

Então, a conclusão a que chegamos é a de que o servidor, aprovado em concurso de provas ou provas e títulos para a Procuradoria-Geral do Estado, submetido a exame médico e considerado apto ao exercício das atribuições do cargo, será designado para estágio experimental de 06 a 12 meses. Habilitado no estágio experimental, será nomeado e continuará sendo avaliado anualmente, até adquirir a estabilidade. (Art. 10 da Lei 4720/06)



[...]

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Simples, simples assim...

A felicidade está em deixar de reclamar por aquilo que não conseguimos, e passar a agradecer por aquilo que não perdemos.

Colaboração de Meg
[...]

domingo, 13 de julho de 2008

Simples, simples assim

Perdi mais de nove mil cestas e quase trezentos jogos. Em vários momentos da minha vida, falhei. E é isso que me torna um vencedor!

Michael Jordan
[...]

Vai ter com a formiga...


Tamerlane costumava contar aos amigos uma história de sua mocidade.

"Certa vez", dia ele, "para escapar de inimigos, fui forçado e me esconder nas ruínas de um edifício e passei, ali sentado, muitas horas. Desejando distrair a mente da triste situação em que me achava, fiquei olhando uma formiga que subia por uma parede, carregando um grão de trigo maior do que ela.

Contei todas as suas tentativas para alcançar o objetivo. O grãozinho caiu sessenta e nove vezes, mas o inseto perseverou e, ao completar setenta vezes, alcançou o topo.

Aquela cena me deu coragem no momento, e nunca esqueci a lição."


Fonte: Manancias no Deserto
Autor: Lettie Cowman
Editora Betânia
Décima Edição - 1986
[...]

Dicas

Concentração...

Tática escolhida, informações atualizadas, tudo normatizado, tempo otimizado... concentre-se no seu alvo.


Rubenstein, famoso músico contemporâneo, disse que: "se passo um dia sem praticar, eu noto a diferença. Se passo dois dias, os amigos notam a diferença. Se passo três dias, o público nota a diferença." Finaliza: "a perfeição vem da prática."


Na vida, como na música, tudo depende de como encaramos nossas tarefas e de como visualizamos o alvo a atingir. Tudo depende de prática e perseverança.

Se, na montanha, nos desviamos da trilha, parando a cada momento para considerar nossos limites, comparando-nos a outros que já atingiram seus objetivos, nos distanciamos cada vez mais do topo. Cada um tem seu tempo próprio, sua maneira de alcançar seus objetivos, mas todos devem neles se concentrar.


Augusto Cury, em sua obra "O Futuro da Humanidade", afirma que Einstein não tinha um cérebro provilegiado, como alguns acreditam. Tinha uma imaginação privilegiada. Einstein dizia que a imaginação é mais importante do que o conhecimento. Cury continua descrevendo em sua obra: quando Einstein desenvolveu os pressupostos de sua teoria, era um jovem de 27 anos, com menos cultura acadêmica do que muitos universitários da atualidade. Mas por que brilhou??? Brilhou porque liberou sua criatividade, aprendeu a pensar com imagens e, principalmente, foi ousado.

Manter o objetivo dentro da linha de visão, pode crer, fez parte de cada uma dessas vidas de sucesso. É olhar adiante, sempre com a visão fincada ele fincada, sem que nada possa nos tirar da meta.

Como o próprio blogue anuncia, deixemos as coisas que para trás ficam e concentremo-nos no alvo.

Temos: Tática, Informação, Normatização, Otimização e Concentração.

Já experimentou?



[...]

domingo, 6 de julho de 2008

Asas...

Há uma lenda que conta como foi que os pássaros criaram asas. Diz que eles haviam sido criados sem asas. Depois, Deus fez as asas e as colocou diante deles, dizendo: "Venham, peguem esses pesos e os carreguem."

Os pássaros possuíam linda plumagem e doce canto; gorjeavam belamente, e suas penas cintilavam ao sol; mas não sabiam o que era cortar os ares. A princípio, hesitaram ante a ordem de apanharem aqueles pesos e os carregarem, mas logo obedeceram; pegaram as asas com o bico, e puseram-nas nos ombros, para melhor carregá-las.

Durante algum tempo, o fardo pareceu-lhes muito pesado e difícil, mas, de repente, quando iam carregando os pesos, suas pontas dobradas sobre o coração, as asas grudaram-se-lhes nas costas e logo descobriram que podiam utilizá-las, e foram levantados por elas nos ares - os pesos se tornaram em asas.

















Fonte: Manancias no Deserto

Autor: Lettie Cowman
Editora Betânia
Décima Edição - 1986
[...]

Dicas

Otimização...

Tática escolhida, informações atualizadas, tudo normatizado... Otimize. Sim, encontre um ótimo lugar e com seu ótimo material, torne ótimo o seu tempo. O lugar escolhido é primordial para o sucesso do estudo. Locais iluminados, onde você possa ter o material de estudo à mão. Nada de locais onde possa ter sono e muito barulhentos. Você está buscando reter informações, assimilar conteúdo. Então, utilize seu tempo da melhor forma possível. Se possui bastante tempo para estudo, divida-o em blocos. Crie intervalos de descanso entre as horas de estudo. Se possui pouco tempo, torne-o de qualidade. Estudo contínuo, de qualidade, todos os dias, por pequenos períodos de tempo, surte efeito.

Temos: Tática, Informação, Normatização e Otimização

Experimente.
[...]

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Porque...

Eviada por Nilzete Costa

Porque um dia você entrou numa maratona incrível, numa São Silvestre Biológica, e para ter nascido, todas as forças do universo trabalharam em seu favor, para que você se tornasse o primeiro colocado entre os 3.000.000.000 de concorrentes.
Essas mesmas forças estão até hoje ao seu lado, continuando a estimulá-lo, para manter esta sua posição privilegiada no podium da vida.
Por tudo isso, sorria, celebre a vida, porque, de coração...
Você merece ser feliz!!!
[...]

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB