quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Nossos Heróis no Haiti

2010 - Dia 20 de janeiro - oito dias após o terremoto

"Oi, Quel. Estou bem, graças a Deus. Hoje fomos acordados com um tremor de magnitude 6.1, felizmente não tivemos problemas aqui no Hospital de Campanha. Estamos alojados em barracas e o terreno é descampado. Tb estou feliz por estar aqui, apesar de presenciar tanto sofrimento e dor. Mandei algumas fotos, não sei se vc as recebeu, elas mostram um pouco do nosso trabalho aqui no Haiti, as cenas não são agradáveis, na maioria são pessoas que tiveram algum membro amputado, assim tem sido a nossa rotina. Obrigado pelas orações e, por favor, troque a foto do blog, ela está horrível. Bjos e um grande abraço na Mãe.

Sérgio Tinoco"

"Que nada, agora que você está no Haiti e eu estou preocupada só vou fazer elogios, mas quando vc voltar, eu retomo as implicâncias. rsrs Então:

'Ora, meu querido, você nunca fica feio em fotos. kkkkk'

Vou fazer um diário com as suas notícias e postá-las no blog. Mande para mim, todos os dias, suas notícias e as notícias do Haiti. Assim, podemos nos sentir mais perto de você. Mande fotos, sempre que puder.

Raquel"

"As minhas notícias não são diferentes das que vc tem visto e lido na imprensa, a única diferença é que estou dentro de um hospital, vivendo uma outra relidade. Ontem a nossa alvorada, às 6 da manhã, foi ao som da música começar de novo, do Ivan Lins. Confesso que parei pra refletir na mensagem, que já ouvira várias vezes, mas sem prestar mt atenção. A mensagem não era só pros haitianos, mas tb pra todos os militares dos contingentes das Forças de Paz e Hospital de Campanha. "Começar de novo e contar comigo, vai valer a pena ter amanhecido". Nessa hora, eu estava caminhando pro rancho e podia ver a tristeza estampada nos rostos dos militares, tristeza pela perda de 20 companheiros, tristeza pela perda do povo que aprenderam a amar, depois de anos de trabalho neste país e tristeza pela perda do bom trabalho que executaram aqui. "Começar de novo" é a ordem dada, não importa quanto tempo mais terão que trabalhar aqui ou quão dura será a missão de reconstruir. "Contar comigo" é o brado em resposta à ordem dada e tb uma forma de agradecimento "por terem amanhecido", tem que valer a pena um outro dia de vida.

Sérgio Tinoco"

"Eu imagino. Temos um outro militar aqui da igreja que também está aí. Não sei a que força ele pertence, se aeronáutica, exército, sei lá. O nome dele é Tiago Cardoso. Também não sei em que área ele está servindo. Foi convocado e não pôde nem mesmo se despedir da família. Foi com a roupa do corpo, igual aquela vez em que vc foi convocado tb. São experiências marcantes e que jamais o deixarão. Sei que elas o farão refletir sempre e vão torná-lo cada vez mais especial. Receba a nossa força. Mamãe ora por vc todos os dias. Há um pedido muito especial dela que se repete a cada oração: 'Senhor, guarda o meu filho, não o deixe sozinho'. Nós sabemos que não está sozinho.

Raquel"

5 comentários:

Katia disse...

Raquel,
Que bonito o trabalho do seu irmão. São poucos, raros, que se habilitam a tão árdua tarefa (porque sofremos com o sofrimento do outro). Na verdade, uma missão. Parabéns aos Tinocos, Silvas, ASSISTENTES SOCIAIS E VOLUNTÁRIOS) NATOS. Abraços,
Kátia

Professora Raquel Tinoco disse...

Obrigada, Kátia. Bjs

bela disse...

Q orgulho de vc tio, Aqui é um pedacinho da sua família que mtuio lhe ama, Sabemos que Deus tem lhe usado para levar um pouco de esperança a essas pessoas necessitadas e desespedadas.
Aguradamos seu retorno.
Um abraço bem forte da sua sobrinha e outro da família Tinoco
Helen Costa!

Admar Branco disse...

Que belo e importante trabalho. Parabéns à família Tinoco, que dá, cada um a seu modo, exemplo e força àqueles que sofrem. Inevitável lembrar a passagem bíblica em que dez homens justos poupariam muitos outros de uma tragédia. Na regra de três considerando a explosão demográfica, quantos seriam hoje necessários? Nossos sentimentos pelas vidas perdidas e nossa emoção orgulhosa com esses heróis brasileiros. Lindo post, pra guardar.

Professora Raquel Tinoco disse...

Obrigada, Admar. Deus o abençoe. Bjs

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB