domingo, 28 de dezembro de 2008

Histórias de Sucesso

Hoje, no "Histórias de Sucesso" entra em cena Dayana. Eu a conheço apenas pelo blogue, orkut e msn, mas percebi que é uma vencedora. Conversávamos ontem no msn quando começou a contar um pouco de sua história. Pedi permissão para compartilhá-la com vocês. Ei-la:

"Minha história começa assim....

Como muitos adolescentes sempre fui uma jovem sonhadora.

Quando estava prestes a terminar meu curso técnico em eletrotécnica no CEFET-RJ, passei por uma prova de fogo. Eu era uma das poucas meninas com esse curso e na hora da escolha de uma vaga para estágio eu sofria, pois a preferência era sempre masculina.

Mesmo diante de tanta dificuldade eu não desisti. Foi quando surgiu uma oportunidade no Parque Gráfico do Jornal O Dia.

Numa das primeiras seleções percebia que mais uma vez não conseguiria, pois, de novo a preferência era masculina.

Não esperava seguir em frente para a última fase da seleção que seria com um engenheiro.

Para minha surpresa, depois de duas semanas fui convocada – a única menina!!!

Os garotos que estavam na seleção pensavam que eu não fosse conseguir. Surpresa!!! Fui aprovada.

Fui a primeira mulher a fazer estágio na área de manutenção das máquinas rotativas.

Foi uma fase muito boa. Entretanto, sem perspectiva de emprego assim que terminasse meu estágio fui impulsionada a fazer a prova para Sargento da Aeronáutica.

A partir de então, fazia meu estágio ( 8 horas diárias ) e comecei a pagar meu curso. Foi uma época muito difícil, pois meu pai não me incentivava. Ele dizia que eu não era capaz, que a prova era muito difícil, uma vez que o concurso era de nível nacional e oferecia pouquíssimas vagas.

Apostei no meu sonho. Muitos falavam que eu era louca, que era muito difícil, que eu não ia conseguir. Enfim, ouvi de tudo!!!!

Na época fazia grupo de estudos em minha casa. Meu pai além de me desanimar ainda contagiava meus amigos dizendo que era perda de tempo. Mas cada palavra ministrada pelo meu pai surtia um efeito contrário.

Aquilo para mim era uma injeção de ânimo. Eu tinha mais força para estudar, mais e mais. Eu sempre gostei de ensinar português para meus amigos do curso e eles sempre pediam. Aprendi muito com isso.

Repartir o conhecimento, ao contrário do que muitos pensam é muito saudável e faz com que fixemos o conhecimento.

Enfim, chegado o grande dia eu fiz a prova, senti um alívio. Eu sentia dentro de mim que eu já estava aprovada.

Esperei por três meses o resultado. Quando vi a minha classificação: 8° lugar, em 22 vagas.

Pulei de alegria, chorei, gritei. Foi um dia de grande emoção!!!

Meu pai ficou surpreso com minha aprovação.

Fui para Guaratinguetá – interior de SP. Passei cinco meses em curso. Foram cinco meses de muito aprendizado e superação.

Certo dia, quando voltava de uma instrução eu peguei muita chuva, fui jantar no rancho ensopada com água da chuva. Não havia tempo de me trocar. No dia seguinte estava com muita febre e dores pelo corpo.

Fui ao posto médico e me receitaram remédio para diminuir a febre, pois ela retornava todas as noites. Ficava ensopada de suor.

Em um final de semana, voltei ao RJ para visitar meu pais. Ainda me sentia mal e resolvi ir ao médico. Ele pediu um raio X e constatou pneumonia e água na pleura. Já foi logo me internando e disse que eu tinha que ficar internada em torno de duas semanas no mínimo. Entrei em desespero. Era muito tempo!!! Como? Eu? Internada? Chorava todas as noites. Nunca tinha ficado em um leito de hospital. Foi a pior época da minha vida.

A Escola queria me desligar do curso. Eu queria jogar tudo para o alto. Estava mal. Justo na época de acampamento militar e testes físicos??

Meus familiares viram o quanto eu estava mal. Me davam força. Eu estava muito magra e debilitada...

Mas não parava de estudar. Lia as minhas apostilas ali mesmo no hospital. Eu queria ir embora.

E Deus concedeu-me uma benção. Em uma semana estava recebendo alta.

O médico ficou espantando com minha recuperação. Todos os dias eu tirava sangue, fazia fisioterapia pulmonar (eu nem sabia que isto existia). Me recuperei, mas não podia correr e nem fazer esforço físico.

Voltei para Guará, meus amigos me receberam muito bem e me ajudaram bastante. Não podia participar dos corridões e isto me preocupava porque o teste físico se aproximava.

Após uma semana de alta, passei a correr. Era desconfortável porque sentia falta de ar. Tudo seqüela da pneumonia. Mas uma força que eu conhecia muito bem me impulsionava. Meus amigos se surpreendiam.

Eu tinha que correr, mesmo com aquela maldita falta de ar.... Eu pedia a Deus para me sustentar...

Chegou a fase do acampamento, eu estava lá. Quatro dias sem tomar banho, dormindo mal, me alimentando mal, com carrapatos pelo corpo, tendo instruções até à noite.

Pensei que eu fosse morrer quando entrei no charco e comecei a afundar, quanto mais me movia, mais afundava...

Mas graças a Deus, VENCI essa etapa. Depois veio o temido teste físico. Eu estava muito receosa. Não corria como antes da pneumonia. Mas fui em frente. Mesmo cansada e com respiração ofegante eu conseguir vencer mais uma etapa. Fiquei com nota máxima em todos os exames físicos!!!

No final do curso chega a fase da escolha das vagas. Havia rumores de que não abririam vagas para a minha especialidade no RJ. Eu não queria ir para Manaus e nem para qualquer outro estado.

Eu queria o Rio. Orei muito e para a honra e glória do Senhor as vagas foram abertas no RJ. Muito além do previsto!

Hoje estou servindo no Rio de Janeiro.

Aprendi a confiar e descansar no Senhor.

Aprendi a confiar em mim mesma.

Aprendi que quando queremos algo, temos que lutar por ele – não importa o nível de dificuldade, não importam os obstáculos no meio do caminho, sempre há alguma forma de contorná-los.

Mesmo enfrentando dificuldades, mesmo com palavras negativas eu acreditei no meu sonho e isso fez toda a diferença para meu sucesso!

Dayana da Silva Sales (militar e estudante de Direito)."

Ah, tem mais, Dayana continua sonhando e quer seguir em frente. Ainda não desistiu.

Um abraço Dayana, obrigada pela lição de vida. Deus a abençoe. Não desista nunca!!!

16 comentários:

Dayana disse...

Obrigada por esta oportunidade Professora Raquel!!!

Desejo um 2009 repleto de realizações!!!

Um forte abraço,
Dayana Sales

Karina Merlo disse...

[b]Miga Top! [:)]
Raquel, você conseguiu traduzir bem a história e esse perfil guerreiro que Day tem!!! Mas você esqueceu de finalizar com (...) reticências, pois esses fragmentos narrados são apenas a introdução de uma biografia muito mais emocionante que está por vir! Nossa amiga guerreira há de vencer muitas outras batalhas.
Feliz ano novo!
Karina, Salvador - BA.

Professora Raquel Tinoco disse...

Eu é que agradeço Day por esta oportunidade. Sua história é lição de otimismo e perseveranca. E mais? Se eles soubessem das suas lutas!!! Mas a vitória é certa. Beijos

Professora Raquel Tinoco disse...

Oi Karina. Tudo bem? Com certeza muitas realizações estão por vir na vida da Dayana e acredito que na sua também. As reticências estão nas linhas e entrelinhas de uma vida de vitórias. Beijos e Beijos. Um Feliz 2009.

Ligia disse...

Que bela e emocionante história.
Dayana, estudamos dois períodos na saudosa Estácio de Sá, no curso de Direito, mas foram sufientes para saber que és uma gatota de garra e abençoada pelo senhor.
Que Deus continue do seu lado por toda a caminhada!
É o que desejo do fundo do meu coração!

E um 2009 repleto de realizações.

Ligia Linard

Ana Paula disse...

Realmente, sou testemunha de tudo e um pouco mais. Esta menina-mulher que cresce em graça e inteligência. Que tem aprendido a fazer do sofrimento, impulso para a próxima fase: sempre. Tenho um carinho especial (MESMO), e confio muito na inspiração que ela dá às minhas fihas. Quem não conhece, é uma boa pedida!
Parabéns pela sua sensibilidade, profª Raquel, seus olhos estão apurados em ter identificado o "algo mais" que esta mulher tem.
Com certeza, um excelente ano novo virá pra vc e todos estes que se esforçam por fazer diferença nesta geração!!!
beijos carinhosos, Ana Paula.

Professora Raquel Tinoco disse...

Oi Ana. Bom saber que a Day é essa pessoa mais que especial. Um Feliz 2009 e seja bem-vinda ao blog. Beijos

Ellen Cristina disse...

Eu sou fã de carteirinha da Day. Ela realmente é guerreira. Uma doce guerreira!

Viviane disse...

Eu conheço a Dayana... trabalho bem pertinho dela. A minha história tb é de superação! E tb venci! Mas, acho que a Day passou por situações piores que a minha! rsrs
Eu só posso dizer uma coisa: que Deus é quem nos faz vencer todos os dias e superarmos todos os obstáculos. A Deus, eu devo a minha vitória tb! DEUS É FIEL!!!!!

Lillian disse...

Essa história veio bem a calhar numa fase difícil que deve estar enfrentando, masi uma vez... E tô procurando enfrentar de cabeça erguida e na confiança q Deus terá o melhor para mim.
Não quero ter o pensamento, que, mais uma vez que retomo as baterias para alcançar o meu objetivo, está sendo abafado por um obstáculo q pode ser o meu fracasso!!! Não, não quero ter esse tipo de pensamento e nem alimentar-me disso.
Por isso, agradeço por este texto maravilhoso q narra um pouco da luta desta moça, a Dayana. Me deu alívio e força pra encarar.
Obrigada.
Feliz Ano de 2009 para todos.

Professora Raquel Tinoco disse...

Oi Lillian, as nossas lutas são singulares, eu sei. Fases difíceis vêm e vão. Mas quero que entenda que nada é tão ruim que não haja uma solução. Deus não nos permite nada além daquilo que podemos suportar. Enfrente suas lutas de cabeça erguida. Saiba que a vitória pode estar mais próxima do que imagina, mas precisa resistir e lutar. Fico feliz que a história da Day esteja sendo diretriz na sua vida. É para isso que ela está aqui. Beijos

Professora Raquel Tinoco disse...

Oi Vi. Se quiser e me permitir, posso postar sua história também. O que acha? Eu tenho um princípio. Acho que as histórias de sucesso estão mais próximas de nós do que imaginamos. Obrigada por visitar o blog e seja bem-vinda.

Professora Raquel Tinoco disse...

Sejam bem-vindas Ligia e Ellen.

Dayana disse...

Lilian,
quero dizer a você que todos nós somos capazes de alcançar os nossos sonhos. Muitas vezes, nos deparamos com situações que entristecem e enfraquecem o nosso coração, nos fazendo desistir. O que eu tenho para lhe dizer: Não desista!!! Lute, persevere, acredite em você!!! Ainda passo por situações em que pessoas chegam e dizem para mim que não vou conseguir sair do lugar onde estou, mas, eu creio que pela Fé todos os muros serão derrubados e eu relatarei aqui mais uma história de sucesso!!! Que Deus te abençoe querida!!!
Tb quero agradecer todos aqueles - amigos (as) que deixaram u recadinho no blog ou no e-mail. Um forte abraço! Dayana

Ceres -.-' disse...

Ola!
Estava em um grupo de concurso publico do yahoo e uma pessoa indicou esse blog..eu adorei mesmo, as vezes a gente se sente mal e lê palavras que dão um novo ânimo, foi isso q aconteceu comigo...eu estava meio desnimada com uns problemas pessoais que não saem da minha cabeça e agora me sinto bem melhor depois de ler seu blog hehe e a historia da dayana!Gostei muito viu!

bjus e sucesso!

Professora Raquel Tinoco disse...

Oi Ceres. Seja bem-vinda. Fico feliz em ajudar. Beijos

Tudo começou quando...

meus sobrinhos, e não são poucos, resolveram fazer concurso para o Tribunal de Justiça.

Eu já estava trabalhando como Auxiliar Judiciário, aprovada no concurso de 1993. Pediram-me que desse aulas.

Então nos reuníamos na casa de um deles aos finais de semana e estudávamos. Comecei a elaborar apostilas que eram chamadas por eles de "apostilas da Que-Quel".

Ah, devo dizer que também não foi fácil pra mim.

Sou caçula de uma família com dez filhos.

Meus pais, muito humildes, não podiam fazer mais do que faziam. Todos tivemos que nos virar muito cedo.

Mas eles estavam ali.... movidos de esperança. Me ensinaram que nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa quantas vezes choremos... não importa se não chegamos em primeiro lugar... não importa se não alcançamos nossos alvos na primeira tentativa... não importam as adversidades... apenas continuem, dizia meu pai. E o via ali, praticando, ele mesmo, tudo o que ensinava.

E segui.

E então, como dizia, comecei a elaborar apostilas que foram ficando famosas... rsrs


No Fórum onde trabalhava, os colegas começaram a pedir que desse aulas. Mudei o local para minha casa e começamos a estudar.

E veio o concurso de 1997. Prova difícil.
Não obtiveram o êxito esperado. Mas não desistimos.

E veio o concurso de 2001. Estava já há algum tempo no TJ e resolvi que precisava mudar de cargo. Precisava passar para Analista. O que fazer? Pedi um mês de licença-prêmio e me tranquei em casa.

Prestem atenção. Tranquei-me!!! O tempo jogava contra mim. Minha licença foi deferida para 1º de julho de 2001 e a prova seria vinte e um dias depois.


Passava os dias lendo Codejrj e Estatuto e gravando a minha própria voz para escutar mais tarde, enquanto fazia outras tarefas.

Estudei o que pude, como pude.


E aí... em 2001 fui aprovada para Analista Judiciário (antigo Técnico Judiciário Juramentado). Gabaritei as questões de Codjerj e Estatuto.

Pouco tempo depois, estava trabalhando, quando um amigo, Vinícius, sabendo que eu havia gabaritado essas matérias, me convidou para dar aulas em Campo Grande-RJ.

Fui, morrendo de medo. Frio na barriga. Mas fui...

Lembra?? Jamais desistir!


Parece que gostaram... Daqui a pouco, ele mesmo , Vinícius, ao ser convidado para dar aulas em um curso da Barra, indicou meu nome para substituí-lo.

E lá fui eu... e assim, foram conhecendo meu trabalho.

Logo, estava sendo convidada para outro curso... e outro... e outro...


E tenho dado aulas desde então. A cada concurso, um novo desafio.

As apostilas da "Que-Quel" foram transformadas em apostilas da Professora Raquel Tinoco.

Amanda, minha sobrinha, está hoje no TJ-PR.

Outros sobrinhos seguiram rumos diferentes, sempre em frente, sempre na direção de seus sonhos. Estão chegando lá.


Meus alunos se tornaram meus amigos e isso me faz seguir.

Meu maior incentivo?? É acompanhar cada resultado e torcer por:

Admares, Alessandras, Alexandres, Alines, Amandas, Andréias, Andrezzas, Anicks, Arianes, Biancas, Bias, Brunos, Calixtos, Carlas, Carlos, Carlinhos, Carolinas, Carolines, Cidas, Christians, Constanças, Cristianes, Daniéis, Danielles, Deises, Denises, Diogos, Drês, Dris, Eneas, Fabíolas, Fábios, Fernandas, Filipes, Flávios, Freds, Giselas, Giseles, Ghislaines, Glórias, Hannas, Henriques, Ianos, Ilanas, Isabéis, Isabelas, Israéis, Ivanas, Ivans, Izadoras, Jackies, Jacques, Janes, Joões, Jeans, Julianas, Kayenes, Kátias, Lenes, Léos, Lúcias, Lucianas, Ludymilas, Luízas, Luzias, Magnos, Marcelas, Marcélis, Marcellas, Marcelles, Márcias, Marcys, Marianas, Marias, Megs, Meles, Mônicas, Patrícias, Pattys, Paulos, Pedros, Pritzes, Rafas, Rafaéis, Raphas, Raquéis, Renatas, Renées, Robertas, Robertos, Rodrigos, Rogérias, Silvanias, Simones, Sérgios, Suelens, Suellens, Tassianas, Tatis, Vanessas, Vicentes, Wilsons....

Deus os abençoe.

não desista!

não desista!

Postagens

Blogs & Sites

 

Proibida a cópia, sem autorização, dos textos, fotos e material de aula aqui apresentados©2009 Professora Raquel Tinoco | by TNB